02/01/2014

Veja 10 dicas para comprar a casa própria em 2014

Saiba como se planejar financeiramente para fechar o negócio do novo imóvel com sucesso

A procura e a busca pela casa própria vão continuar muito fortes em 2014. Segundo levantamento do Instituto Data Popular, oito a cada dez famílias brasileiras pretendem comprar o próprio imóvel nos próximos dois anos, o que equivale a 7,9 milhões de pessoas.

Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Clique aqui e cadastre-se

Mas, apesar das facilidades como o crédito farto e o aumento da média salarial no país, o comprador, antes de fechar o negócio, precisa fundamentalmente organizar as contas.

O ideal é quitar, pelo menos, 30% do valor total do bem adquirido na hora de fechar o contrato (Foto: Banco de Imagens / Think Stock)

“No momento da aquisição de um bem é importante que o consumidor deixe a emoção de lado e faça um bom planejamento, pois o pagamento do imóvel vai comprometer a renda da família por muitos anos”, alertou Marco Aurélio Luz, presidente da AMSPA (Associação dos Mutuários de São Paulo e Adjacências).

Para auxiliar as pessoas que desejam ter uma moradia no próximo ano, o especialista listou 10 informações que vão ajudar nessa etapa. Confira a seguir:

1. Economize parte do dinheiro ganho. Nesse momento, é importante colocar todas as despesas no papel e, junto com a família, definir quais despesas podem ser cortadas. O dinheiro poupado vai ser fundamental para dar uma boa entrada ao adquirir a casa própria. O ideal é quitar, pelo menos, 30% do valor total do bem na hora de fechar o contrato;

2. Guarde parte do 13º salário para conquistar a tão sonhada moradia. O dinheiro extra, junto com as economias, pode ser útil na diminuição do valor do financiamento.

3. Verifique qual o teto do valor das prestações que você pode pagar. Não comprometa mais do que 30% da renda familiar;

4. Simule no site da Caixa como ficaria o financiamento se fosse hoje para ter uma ideia de como ficará o seu orçamento. Quando for fechar o negócio, peça antes uma planilha do banco com a projeção de todas as parcelas do financiamento, incluindo as taxas extras e os seguros que compõem a prestação;

5. Tenha cerca de 50% do valor do imóvel depositado no FGTS, poupança ou em outras aplicações para se precaver contra desemprego, diminuição de renda, problemas de saúde na família, entre outras dificuldades imprevistas, que podem comprometer o pagamento das prestações;

6. Reserve dinheiro para pagar despesas, que inclui o IPTU – Imposto Predial e Territorial Urbano do imóvel, o ITBI – Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (que gira em torno de 2% sob o valor do imóvel, dependendo do município), o registro da escritura (que garantirá a propriedade como sendo do novo comprador que é cobrada em media de 1%) e as certidões emitidas pelo cartório, ambas são cobradas de acordo com o valor do bem.

Quando for fechar o negócio, peça antes uma planilha do banco com a projeção de todas as parcelas do financiamento (Foto: Divulgação)

7. Não se esqueça de guardar, se possível, uma quantia para arcar com custo do despachante, valores de seguros, taxas sobre a avaliação do imóvel, pagamento da parcela das chaves, mudança, reforma do imóvel e compra de móveis;

8. Escolha o financiamento de acordo com suas possibilidades para arcar as prestações. Nessa etapa é importante fazer cálculos e comparar as linhas de crédito imobiliário disponíveis no mercado. Hoje as modalidades para financiar a casa própria são pelo sistema de consórcio, SFH – Sistema Financeiro da Habitação, SFI – Sistema Financeiro Imobiliário ou direto com a construtora;

9. Fique atento às taxas de juros. Quando for comprar, opte pelos contratos com uma taxa de juros fixa mais a TR – Taxa Referencial, ou seja, pós-fixada e pelas correções feitas pela tabela SAC ou SACRE. Com parcelas decrescentes e juros menores, ganham diferencial competitivo diante da tabela Price e das taxas pré-fixadas;

10. Consulte um advogado para sanar dúvidas. A opinião do profissional será essencial para saber se você está em condições de fazer um bom negócio.

Tags: 10mais
  • PAULO RAMOS DOS SANTOS

    Muito boas estas informações, pois meu filho esta p/comprar um apto, e estas dicas serão importantes p/ele avaliar a compra e o financiamento.

  • André Luiz Mantuano Bocks

    Não é demais ressaltar que em toda essa operação de pesquisa, busca e compra do imóvel é primordial para o comprador se cercar de bons profissionais. Destaco aqui a necessidade de se encontrar um bom Corretor de Imóveis. O Corretor de imóveis que é o Profissional responsável por buscar o melhor imóvel no perfil e no preço que o Cliente pode pagar. É ele que conhece o Mercado Imobiliário. Essa análise financeira deve ser feita também pelo Corretor de Imóveis para auxiliar seu cliente, bem como todo o trâmite junto ao agente bancário escolhido pelo Comprador e mais ainda, o suporte no Registro de Imóveis competente da região do imóvel escolhido. Temos que destacar a análise do Profissional Advogado que analisará o Contrato e dará mais segurança ao negócio, mas acrescento que pelo Código Civil Brasileiro o Corretor de Imóveis é o Profissional indicado e responsável para dar total segurança jurídica na intermediação de Compra e Venda de um imóvel, inclusive respondendo civilmente e criminalmente se assim não o fizer.

  • Gostei

  • Esta reportagem ajuda muito os interessados em adquirir um imóvel e enaltece os consultores de negócios da área.

  • José Carlos de Lima

    Esta dicas são muito importantes para quem quer comprar um imóvel . Não esquecer de faze-lo com quem é corretor credenciado

  • Carlos Alberto Machado Perna

    Espero que os brasileiros tenham realmente condiçoes de comprar sua casa propria para sair do aluguel tão cruel para os assalariados. Vontade não falta o problema e que a renda do trabalhor não possibilite tornar esse sonho em realidade.

  • DIOGO CHAVES

    Gostei do artigo, mas discordo da dica 5. O juro que a pessoa recebe no FGTS e na poupança é menor que o juro que ela pagaria num financiamento imobiliário. Assim, o ideal é usar desde logo o saldo do FGTS e da poupança para dar entrada na compra da casa própria. Manter uma reserva de emergência na poupança é importante, mas não precisa superar seis meses de salário.

  • geny matias

    acabei de adquirir um apartamento em construção, ainda não sei se fiz um bom negócio mas já está feito.

  • Gleiciane Veras

    Adorei as dicas! E me sinto muito tranquilizada, pois eu e meu noivo sempre pensamos desta forma! Então, isto quer dizer que estamos no caminho certo, mas para conseguir isto é necessário muito foco e controle financeiro.

  • Como profissional do ramo imobiliário, essas informações são de suma importância para os futuros compradores de imóveis! Imagino que 2014 seja um grande ano para compras e vendas de imóveis, devido a copa a valorização será garantida.

  • Marcel Camargo

    Acho necessária a figura do corretor, porém, em São Paulo, 6% é muito dinheiro.

  • Eloiza

    Tenho uma duvida vc pode sana-la para mim:Pago imovel financiado pela caixa com financimento decrescente, so que fui surpreendida por aumento do seguro devido a faixa etaria. isto ta correto?

  • Sim, trabalho na empresa Lopes do Rio Grande do Sul, vejo que em 2014, ano de copa, os imóveis estarão em alta assim como já vem em uma crescente a anos, a medida que o salário mínimo (ponto de referência que costumo comparar) está aumentando de maneira significativa, a população está com uma renda maior, isso eleva a procura, além da copa trazer “Verdinhas” DINHEIRO NOVO ENTRANDO NO PAÍS.E para onde vai este dinheiro novo?Crescimento do número de negócios, seja de um cachorro quente, seja de uma sala comercial…..

  • Marcos Adelino

    Se vc conseguiu ter 30% para quitar o imóvel mais 50% guardados em poupança. Isso já soma quase 80% do valor do imóvel. Com essa grana toda, será que vale a pena financiar ou juntar mais um pouquinho e pegá-lo a vista?

  • Fabricia

    Achei bem bacana essas dicas,estou pra fechar um negocio quero focar todas essas dicas pra futuramente não ficar apertada com prestações.

  • 2014 inspira confiança aos investidores do ramo imobiliário.

  • Estou muito confiante em 2014 comecei o ano bem,mais a minha dica procura um corretor credenciado eu corretor em brasília,que nos corretores valorize seu trabalho buscando junto ao clientea verdade e o perfil do imóvel que esta a procura.Esta e minha dica ok?

  • Caroline Pereira

    Olá Eloiza. A CAIXA respondeu sua dúvida. Confira: As regras da apólice que fazem parte do contrato estabelecem que à medida que o cliente mude de faixa de idade ocorre o recálculo do seguro, procedimento que está de acordo com as regras da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), órgão responsável pela regulação do seguro habitacional. Portanto, o recálculo do prêmio de seguro está previsto no contrato e tem respaldo legal.

  • Realmente. Alerto TB a todos em relação ao corretor. Deve se levantar as possibilidades de corretores de má fé. Passamos por isso na quase compra de um imóvel. Quase compramos um imóvel com acoes trabalhistas em trâmites. Por um acaso ou pelo destino conseguimos descobrir a pouco da assinatura na caixa econômica da compra da casa. Depois desfizemos ao contrato de compra o corretor desapareceu e ficou a tortura para recebermos o valor di sinal de 12 mil. Demiramos 4 meses p receber nosso dinheiro. Por isso fica aí a dica. Cuidado c corretores pilantras.

  • Bigucci

    Excelentes dicas.