Home ›› Financiamento imobiliário

Dependendo do caso, o tipo de financiamento escolhido para a amortização da dívida pode evitar um maior gasto na compra da casa própria

19 de novembro de 2013 às 7:00 - Fonte: ZAP Imóveis  - Publicado por:   - 23 Comentários

Devido aos altos preços dos imóveis, o financiamento em longo prazo tornou-se a grande válvula de escape para as pessoas conquistaram o grande sonho da casa própria.

Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Clique aqui e cadastre-se

No entanto, dependendo do caso, o tipo de financiamento escolhido para a amortização da dívida pode evitar ou contribuir para um maior gasto financeiro ao término da compra do imóvel.

Isso porque, com o aumento da Selic, a taxa básica de juros da economia nacional, as parcelas de financiamentos em até 35 anos, os mais utilizados no país atualmente, sofreram um impacto e qualquer decisão errada pode fazer com que o consumidor pague um valor a mais pelo mesmo bem no fim do prazo.

Simule seu refinanciamento

Hoje em dia, os consumidores têm algumas alternativas que são as mais praticadas pelos bancos privados e estatais. O SAC (Sistema de Amortização Constante) e a Tabela Price são as duas principais formas de amortização de dívida em financiamentos imobiliários no Brasil.

O primeiro modelo consiste na opção de se pagar um preço total menor, com as primeiras parcelas mais caras, porém decrescentes (ficam mais baratas com o decorrer do tempo). Já pela segunda maneira, paga-se um valor total maior, mas, com parcelas menores e constantes ao longo do prazo financiado.

“Geralmente, as pessoas escolhem a tabela SAC porque querem ver no seu orçamento mensal as prestações reduzindo ao longo do tempo. Mas, como as primeiras parcelas pelo SAC são maiores que na Price, pode ser que o comprador opte pela Price por precisar de fôlego no momento da compra do imóvel”, comparou Xênia Andrade, sócia-diretora da OBC Negócios e Consultoria, em entrevista ao ZAP Imóveis.

No SAC, as primeiras parcelas são mais caras, porém decrescentes ao longo do prazo (Foto: Banco de Imagens / Think Stock)

Segundo a especialista, existe um efeito “psicológico” sobre a tabela SAC, onde as pessoas acreditam que vão pagar menos porque a prestação vai diminuindo, mas em ambas, Price e SAC, a dívida é amortizada continuamente. Além disso, a taxa de juros e a correção da TR (Taxa Referencial) serão as mesmas para ambas as modalidades.

Há ainda um terceiro modelo de financiamento: o Sacre (Sistema de Amortização Crescente), usado basicamente apenas pela Caixa Econômica Federal (CEF) nos últimos anos.

Neste modo, a quitação do dinheiro emprestado é crescente ao longo do prazo, com as parcelas fixas (porém, mais altas do que os demais) e os juros decrescentes. Além disso, a prestação inicial pode comprometer até 30% da renda familiar e o prazo máximo de financiamento é somente de 25 anos.

“Considerando o limite de comprometimento da renda familiar em 30%, o comprador com menor poder aquisitivo consegue maior valor de financiamento pela Tabela Price já que as primeiras prestações são menores que da tabela SAC. Já um comprador que consegue o valor de financiamento desejado em ambos os sistemas, irá escolher se quer fôlego no momento da compra ou se prefere se apertar um pouco neste momento, mas ter suas prestações reduzidas ao longo do financiamento”, finalizou.

23 respostas para “Veja qual a melhor opção para financiar um imóvel”

  1. silvana alves da silva disse:

    eu moro de aluguel a 13 anos na mesma residencia tenho muita vontade de ter minha casa propria mas ate agora nao consigo um financiamento pois é ilusao que a caixa econimica fanancia 100/ de seu imovel pois pago 900reais de aluguel enao posso

  2. silvana alves da silva disse:

    fazer um financiamento pq nao tenho a entrada que a caixa exige em dinheiro por isso pergunto como posso adquiri um imovel se nao tenho a entrada pq pagar as prestaçoes nos podemos eu e meu marido mas nao podemos compra

  3. Marcus Vinicius disse:

    Que matéria é esta? Quem fez a tabela leu? Porque a simulação do sistema PRIME deveria ter as prestações iniciais MENORES que o sistema SAC. Mas na “simulação” que vocês fizeram, está maior que a SAC e não diminui. Ou seja, somente IDIOTA utilizaria o PRICE.

    No site da caixa tem um simulador e eu fiz uma simulação com as condições mostradas na tabela e geraria uma prestação de R$1880,00, mais condizente com a realidade e com o que diz a matéria.

  4. João Batista Pacheco disse:

    A tabela Price da Caixa só está financiando com prazo de 240 meses, a Caixa ainda não está abatendo o subsidio da MCMV da entrada e sim do valor financiado que hoje é no máximo 80% na tabela SAC e 70% na tabela Price. ou seja, hoje o programa MCMV foi pro beleléu, póis o comprador tem que ter no minimo R$ 20.000,00 mais as taxas.

  5. Altair dos Santos disse:

    Bom dia tenho uma empresa de hotelaría e tenho buscado financiamentos para a construção de uma pousada na região do super porto do açú na região do litoral fluminense estado do Rio de Janeiro mas não tenho apoio financeiro e gostaria de se possivél voces me orientassem como fazer tenho projetos tecnicos e arquitetonico mas dependo de apoio desde já agradeço,,,,,, att; Altair dos Santos Gerente Administrativo

  6. izal disse:

    mas, e ai? tou qurendo saber qual o melhor financiamento pra mim? tenho 62 anos e renda 4800,00. obrigado

  7. marcos disse:

    Devo ter visto errado, mas o segundo modelo de financiamento (conforme matéria) diz que as parcelas são menores, mas não é isto que está no cálculo das duas simulações. Acredito haver algo errado.

  8. Elza disse:

    Bem valioso o comentário, porém há 02 erros na informação. O 1º é o cálculo da tabela PRICE onde a prestação inicial é menor do que a tabela SAC e SACRE e na reportagem foi informado um valor maior e o 2ºerro é que há vários anos a CEF só trabalha com a tabela SAC, exceto quando o cliente formaliza o pedido para contratar na tabela PRICE. A tabela SACRE já não é utilizada faz alguns anos, tanto que não aparece mais nos simuladores disponibilizados pelos bancos, inclusive CEF.

  9. izuri ramos disse:

    Tem erro no quadro, onde mostram as duas primeiras prestações. Considerando as mesmas condições de negócios, não há como a TP apresentar uma prestação maior que SAC. Outro erro, não se soma parcelas m diferentes periodos de tempo, para fazer isso, precisa-se trazer a valor presente a uma taxa de juros determinada.

  10. Caroline Pereira disse:

    Izal, consultar os bancos que trabalham com financiamento pode ser uma boa opção. Consulte os profissionais dessa área.

  11. Caroline Pereira disse:

    Olá Silvana. A reportagem em questão oferece algumas possibilidades. Avalie ou consulte um profissional do setor imobiliário para te ajudar a escolher uma opção que caiba no seu bolso.

  12. claudio vargas disse:

    O que me dizem da opção pelo consorcio? Sem aquele comentário de que “depende do que a pessoa quer”. O que eu quero é comprar um imóvel e quero saber se o consorcio é uma boa opção.

  13. Tarcila disse:

    As pretações de um financiamento pela tabela price são fixas ou aumenta de acordo com a inflação?

  14. Caroline Pereira disse:

    Olá Altair. Procure os bancos e as demais financiadoras para verificar a viabilidade do seu projeto. Confira também outras reportagens que podem te auxiliar de alguma forma:
    Financiamento de imóveis está mais acessível, prático e é de grande valia: http://revista.zap.com.br/imoveis/financiamento-de-imoveis-esta-mais-acessivel-pratico-e-e-de-grande-valia/
    Saiba como financiar um imóvel: http://revista.zap.com.br/imoveis/saiba-como-financiar-um-imovel/

  15. ELIETE MASCARENHAS disse:

    Boa tarde. Eu penso de outra maneira. Sou Func. Fed. do Colégio Pedro II, pago aluguel de 1.800,00 na Tindiba, Jacarepaguá, sei que tenho condições de pagar uma prestação de 2.00000 por mês, mas não queria fazer pela Caixa, achou muita burocracia, apesar de ser a melhor maneira de se comprar um imóvel. Acho assim, se quero comprar uma casa dentro de minhas condições, dando de 15 a 20 mil de entrada, a Caixa poderia facilitar mais, e não exigir questões de nós compradores, detalhes que na realidade, acrescentam no nosso orçamento, faz com que, tenhamos que nos virar em valores que, corremos daqui e dali para pagar,com, papéis, cartórios xérox, firmar, que a maioria tem, mas de última hora, que abrir outras, mais outras para não perdemos tempo ou seja, tentar resolver uma parte. E o ITBI, 10, 20 ou 30%, do valor do imóvel que temos que dar? Se fizermos as contas de pelo menos uma parte destes gastos, daria algumas prestações. Espero ter dado alguma ideia, ou um incentivo, para que tenham uma solução de ajudar aquelas pessoas como eu, pagando esse valor de aluguel,mas que não tenho condições de ter uma carta de crédito no valor de 300.000,00 para comprar uma casa, que não seja de luxo, e nem em um lugar de privilegiado. Mas sim, um condomínio de casas simples ou uma casa de vila.

  16. Caroline Pereira disse:

    Olá Izuri. Segundo a entrevistada Xênia Andrade, sócia-diretora da OBC Negócios e Consultoria, a primeira prestação no banco simulado vem com taxas e tarifas inclusas e, por isto, a divergência. A soma é ilustrativa.

  17. Caroline Pereira disse:

    Olá Elza. Segundo a entrevistada Xênia Andrade, sócia-diretora da OBC Negócios e Consultoria, não foi considerado o sistema Sacre na simulação do financiamento.

  18. Caroline Pereira disse:

    Olá Marcos. egundo a entrevistada Xênia Andrade, sócia-diretora da OBC Negócios e Consultoria, as parcelas iniciais pela Price geralmente são menores que pela SAC. Porém, quando fazemos simulações as mesmas vêm com taxas e tarifas. Dando impressão de erro. Porém, ao acessar o site do Banco do Brasil, o leitor poderá ver que pela mesma renda terá valores divergentes aprovados.

  19. valdeci Anselmo Lima disse:

    A CEF ,assim como qualquer instituição
    financeira ao liberar um financiamento, analisa minunciosamente a capacidade financeira do cliente, portanto convém
    que quanto maior a renda ,maior o valor financiado ,há casos que chega a 100%.

  20. sandra maria disse:

    estou fazendo pesquisa para financiar um apto estive no santander e caixa economica. Só achei estranho o santander dizer que sou obrigada a abrir uma conta com uma despesa mensal e 55,00 reais para manutenção. e caixa 12,00.gostaria de uma orientação refernte a estas taxas que praticamente estão obrigando a se fazer.
    sandra

  21. Revista Zap Imóveis disse:

    Olá Sandra,

    A taxa depende do apartamento que você está comprando. Neste caso é melhor consultar um advogado especialista.

  22. Valdeci Anselmo Lima disse:

    Existem muitas explicações contraditórias a respeito de tbs. para financiamento, mas acho que esta explanação clareou meu entendimento.

  23. Arlinda disse:

    Em resposta as perguntas descritas, todo o processo de financiamento é cansativo e custoso, o consórcio é um sistema parecido, porém acho mais simplificado, trabalho com assessoria para financiamento e consórcio de imóveis. Se precisarem estou a disposição.

Deixe seu comentário

  • Posts mais comentados

    Uma das mansões do Condomínio Porto Caieiras (Foto: Porto Bracuhy Imóveis)
    casa3
    O Shih Tzu se adapta bem a apartamentos e são ótimas companhias para as crianças
    cozinha vintage 1
    (Foto: Divulgação)
    Prateleira para caneca (Foto: Divulgação/Veronica Kraemer)

    DÚVIDAS

    Entre em contato
    De Segunda a Sexta
    das 8h às 18h
    Perguntas frequentes (FAQ)
    UMA EMPRESA DO grupoglobo.globo.com
    Copyright 2015 ZAP
    Todos os direitos reservados