16/12/2007

A arte de decorar, inventando

Fonte: O Globo

Vestimenta de mulheres indianas ganha as vezes de um dossel

As duas irmãs brasileiras moravam juntas em Toronto, Canadá, quando, passando por uma loja indiana, tiveram a idéia: se comprassem um daqueles sáris coloridos, e o bordassem ainda mais, teriam em casa, durante o inverno, uma peça que faria forte contraste com a paisagem branco-neve lá de fora. A idéia era expor na parede a tradicional vestimenta das mulheres indianas. Como se fosse um quadro. Quando chegaram em casa, entretanto, Rosana e Margaret Rodrigues repararam que o longo tecido retangular (de 1,30m por 5,20m) não cabia em parede alguma.

Léa Cristina Zap o especialista em imóveisO Sári indiano é a matéria-prima do dossel que enfeita a cama de casal

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tudo bem, pensaram, tinham um trabalho a fazer. Então, compraram linhas e miçangas e, durante uns dois meses, nas horas livres, se punham a bordar.

— Como não íamos vestir o sári, algum dia encontraríamos um meio de usá-lo na casa. Mas precisávamos bordar mais, porque aquela peça só tinha uma beirada enfeitada — lembra Margaret.

Logo depois de o serviço estar terminado, aconteceu de Rosana voltar para o Brasil. E de trazer o pano, já todo bordado, com ela. Foi aí que, de sári, o tecido se transformou num dossel:

— No meu apartamento aqui, também não tinha uma parede em que ele coubesse, todo aberto. Daí resolvi pendurá-lo sobre a cama. Acho que ficou bem legal — opina Rosana, responsável pela decoração de toda a sua casa, onde há uma mistura de móveis rústicos brasileiros com pequenas peças e detalhes típicos de Áustria e Portugal, outros dois países em que já morou. — Objetos podem ser usados de várias formas. Acho que é uma questão de olhar e imaginar.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.