05/04/2004

A arte do bom negócio em 12 dicas

Fonte: Editoria Zap

Você quer qualidade e preço justo na hora de comprar seu material de demolição? Então, observe, e siga, estas dicas:

1 Tente conseguir suas peças direto da fonte, ou seja, nas demolidoras. Os intermediários sempre encarecem o produto.

2 Procure referências sobre os locais onde você pretende adquirir o material. Quem já conhece, sempre sabe informar se o atendimento foi bom e se não tentaram ludibriá-lo.

3 Se você não entende o suficiente de material antigo, escolha um arquiteto com experiência nesta área. E, quando for fazer as compras, leve-o junto.

4 Lembre-se do velho ditado que alerta sobre a venda de gatos como se fossem lebres. Há locais que vendem peças usadas e em má estado garantindo que são do século passado. Desconfie e averigúe.

5 Pergunte a origem da peça. Tomando como referência a cidade ou o bairro, é possível ter uma noção se a idade anunciada é verdadeira. Em São Paulo, por exemplo, os bairros da Mooca e do Brás são celeiros de material de demolição antigo e de qualidade.

6 Raspe a madeira para conferir se é a mesma informada pelo vendedor. Portas de entrada são, em sua maioria, de cabreúva, madeira de tom castanho avermelhado, muito dura e resistente às intempéries e aos cupins. Outra madeira muito encontrada nos materiais de demolição é o pinho-de-riga, de origem russa e que pode ser identificada por pequenas estrias. Ela é ideal para áreas internas ou que estejam sob a proteção de varandas, pois não resiste à variação de temperatura e à exposição ao sol e à chuva. Janelas costumam ser de cedro-rosa, uma madeira mole, de tom rosa escuro. É uma madeira para pintura, normalmente protegida com tinta.

7 Bata com os nós dos dedos nas peças de madeira. Se fizerem barulho que pareça que estão ocas, não leve. O som pode indicar presença de cupim.

8 Procure comprar peças que estejam funcionando e já com os itens necessários (exemplo: porta com dobradiças e fechadura). Os pequenos complementos e a restauração encarecem bastante a peça.

9 Se comprar peças que necessitem de restauração – o que é comum, devido à ação do tempo –, não as entregue a qualquer um. Certifique-se de que o profissional é realmente experiente, pois uma restauração mal feita pode estragar complemente seu achado.

10 Não deixe para comprar o material de demolição de sua obra quando ela já estiver sendo construída. Lembre-se de que as casas antigas tinham pé-direito de 3,5 metros e suas portas, janelas, escadas, sacadas tinham dimensões bem maiores do que as atuais. Não é incomum que belas portas antigas tenham de ser cortadas por causa da altura da viga que não foi planejada para ela.

11 O modismo encareceu bastante as peças antigas encontradas em demolição. Para tentar preços mais em conta, vale a sugestão do experiente consultor técnico Fernando de Matos. “Se quiser uma porta, pergunte por janela”, ensina. “Depois de ver várias e dizer que não gosta de nenhuma, pergunte, com desprezo, o preço da porta ‘velha’ ali do canto. Com certeza, eles vão querer te empurrar o material por um valor bem melhor que os dados pelas janelas.”

12 Se você não puder comprar várias peças antigas de demolição para sua casa, opte pela porta de entrada. Mais elaborada, ela complementará a obra com um toque de elegância. “Não é o material de demolição que vai deixar a casa bonita e confortável, é o conjunto e a harmonia do todo”, ensina o arquiteto Gil Lopes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.