20/07/2008

A iluminação pública é verde

Fonte: O Globo

Empresa ganha prêmio de design e sustentabilidade por poste que economiza energia

Imagine-se preso num engarrafamento, debaixo do sol de verão carioca, porque um caminhão está parado no meio da rua trocando as lâmpadas de postes de luz. Foi esta situação desconfortante que levou o designer Walen Nogueira Cruz Júnior, da empresa ZipLux, residente da incubadora da Coppe/UFRJ, a criar o ZipLux, totem de iluminação econômico e de fácil manutenção. O produto ganhou, na sexta-feira, nos Estados Unidos, o segundo lugar do IDEA Award 2008, considerado o maior prêmio de design internacional, na categoria Comercial/Industrial. Antes disso, o produto já obtivera o ouro no IDEA/Brasil, sendo premiado ainda na categoria “Destaque sustentabilidade”.

A inovação do ZipLux é não usar lâmpadas no topo, como nos postes convencionais. O poste tem como fonte luminosa uma lâmpada refletora na base, conectada a cabos de fibra ótica que distribuem a luz para o alto, até cerca de quatro metros de altura, e para o chão, clareando a calçada. Desse modo, não há perda na dispersão da luz e são necessários menos postes para iluminar uma via.

A manutenção, razão pela qual o produto foi desenvolvido, é muito mais prática, já que dispensa o uso de aparatos pesados, como um caminhão e um andaime. O design também beneficia o técnico de manutenção, permitindo que ele mantenha uma postura mais correta durante o trabalho, já que não precisa trabalhar com os braços para o alto ou ter contato com os gases existentes nas lâmpadas.

Apesar de ficar numa altura acessível a eventuais depredadores do patrimônio, a lâmpada é protegida por um compartimento lacrado que só abre com ferramentas especiais. Foram criados até agora quatro modelos de totem: o Lamp, modelo original; o Led, que pode ser programado para acender gradativamente; o Solar, alimentado pela luz do sol, independentemente da rede elétrica; e o Híbrido, que opera tanto com energia solar quanto com a rede elétrica:

— A energia solar é um dos grande ganhos do produto, pois não prejudica o meio ambiente — explica Walen.

Por utilizar uma tecnologia que requer mais recursos para a produção, o ZipLux Solar é mais caro: custa R$12,5 mil, enquanto o Lamp sai por R$9,6 mil. Por enquanto, os equipamentos desenvolvidos são para a iluminação de locais de média circulação de pessoas, como parques, jardins de condomínios e pátios de shoppings, porém, há o intuito da companhia de produzir totens maiores para locais de alta circulação, como, por exemplo, rodovias e estradas.

 

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisUma lâmpada refletora na base do poste é conectada a cabos de fibra ótica que distribuem a luz para o alto e para o chão. Assim não há perda na dispersão da luz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.