01/10/2006

A reboque do crescimento

Fonte: O Globo

Novo rumo dos empreendimentos pode dobrar a população de São Cristóvão

O bairro de São Cristóvão não registrou um novo empreendimento de 2001 a 2005, segundo dados da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi). De janeiro a agosto deste ano, no entanto, 150 unidades residenciais foram lançadas lá. Os dados sobre a Freguesia mostram também uma expansão significativa. Este ano foram 1.194 novos apartamentos, frente a 192 em 2001. O número é superior ao da Barra da Tijuca que, até agosto, registrou 759 unidades lançadas.

Em áreas nobres, onde os terrenos têm preços altíssimos, como o Leblon, o movimento é inverso: cinco unidades lançadas até agosto de 2006, contra 112 em todo o ano passado. No caso de São Cristóvão, a mudança na legislação com a aprovação do Plano de Estruturação Urbana (PEU) em 2004, com um gabarito maior para novas construções, tornou o local atraente. A Gafisa foi a primeira a chegar lá e lançou, em julho, o Quinta Imperial, com 150 unidades. A construtora financiou a pintura de casas da rua em que o condomínio será erguido e fez melhorias no entorno.

Segundo o diretor do Instituto Pereira Passos (IPP), Antonio Correia, a cidade tem uma grande diversidade de pessoas e de interesses. Daí a importância da descoberta de novas áreas para lançamentos residenciais. O IPP é responsável pelo Plano de Reabilitação de São Cristóvão, uma parceria da prefeitura do Rio com a de Paris, a Caixa Econômica Federal e o Ministério das Cidades. Um plano de revitalização também está em andamento em Jacarepaguá.

— Fizemos um levantamento em São Cristóvão que mostrou potencial de aproveitamento de 84 imóveis e terrenos para construção de empreendimentos residenciais — diz Correia.

Ele acredita que a população do bairro, hoje de 76 mil pessoas, dobrará em 15 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.