16/03/2007

À sombra da Aclimação

Fonte: Jornal da Tarde

Bairro reúne boa infra-estrutura de lazer e serviços com belas áreas verdes e tranqüilidade

Ruas calmas e arborizadas, ausência de trânsito e baixo índice de violência, proximidade com a região central e vias importantes da Cidade. Bem servido de transporte e de serviços e com um parque que concentra uma extensa área verde. Parece-se com uma bucólica cidadezinha do interior. Mas esse é o bairro da Aclimação, localizado em um região privilegiada da Capital Paulista.

Essa área residencial, típica da classe média, assistiu, a partir da década de 1970, um processo de verticalização. Antes as ruas eram repletas de casarões e sobrados. Mas, as construtoras e incorporadoras perceberam o potencial do bairro e passaram a investir pesado na região.

Apesar das novas construções, com condomínios voltados para classes média e alta, a Aclimação não perdeu suas características. Hoje, convivem harmoniosamente empreendimentos de alto nível com casas antigas. Quem mora no bairro não sai de lá. “A maior procura pelos imóveis lançados na Aclimação é de moradores que querem mudar de casa, mas não de bairro”, confirma o diretor comercial da Itaplan Imóveis, Fábio Rossi.

De acordo com Rossi, o preço do metro quadrado na Aclimação custa entre R$ 2 mil e R$ 4 mil, dependendo da proximidade e vista que o imóvel tiver do Parque da Aclimação. O mercado imobiliário aposta muito nessa região. Como explica o presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP), José Augusto Viana Neto. “Essa região tem tudo para crescer e valorizar.”

Mas, embora os moradores antigos estejam disponibilizando suas casas e sobrados para que sejam construídos no local novos espigões, a região ainda é carente de espaço para se expandir. O presidente do Creci, explica que a ‘bola da vez’ da Aclimação são as ruas que vão em direção ao bairro do Ipiranga (Zona Sul). “Essa região é promissora e deve receber bons empreendimentos com preços acessíveis e extrapolar os limites do bairro.”

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.