08/09/2009

Ações de construção sobem até 8% e lideram alta na bolsa

Fonte: O Globo

O anúncio da aprovação pelo governo de uma nova aplicação do FGTS para socorrer as construtoras animou as ações do setor na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Os papéis de Cyrela, Rossi e Gafisa subiram 8,39%, 7,84% e 5,11%, respectivamente, liderando as altas entre as ações do Índice Bovespa (Ibovespa). Das outras 19 ações de empresas de construção listadas em Bolsa mas que não estão no Ibovespa, apenas três registraram quedas.A Bolsa também teve um dia de alta, com o Ibovespa registrando ganho de 1,70%, para 56.652 pontos, após a avaliação positiva dos dados do mercado de trabalho americano. Na semana, o Ibovespa acumulou queda de 1,82%. Depois das quedas no início da semana, ontem as ações da Petrobras subiram 0,99%, fechando a R$32,51, praticamente o mesmo preço da sexta-feira anterior (R$32,55). Diante do otimismo do dia, o dólar teve nova queda, de 1,39%, para R$1,840.

Também influenciou no otimismo do mercado um resultado ligeiramente favorável do emprego nos EUA. O ritmo de fechamento de postos de trabalho em agosto caiu para 216 mil, contra 276 mil em julho. Porém, a taxa de desemprego americana chegou a 9,7%, a mais alta dos últimos 26 anos.

A chamada taxa de subemprego (trabalhadores em postos temporários em busca de emprego fixo) atingiu 16,8%, um recorde na história americana. Ainda assim, a queda no número de postos fechados animou os especialistas americanos, que acreditam que o pior da crise já passou e que as medidas de recuperação da economia começam, enfim, a fazer efeito nas estatísticas.

DESDE O INÍCIO DA CRISE, EUA JÁ PERDERAM 6,9 MILHÕES DE VAGAS – Mas os números divulgados ontem pelo Departamento de Trabalho mostram que as melhoras no emprego andam mais devagar que no restante da economia, com muitos duvidando se a indústria e as empresas de serviços vão efetivamente repor os postos fechados.

Christina Romer, presidente do Conselho de Economia da Casa Branca e uma das mais próximas assessoras do presidente Barack Obama, afirmou ontem à TV Bloomberg que a taxa de desemprego de 9,7% é uma tragédia. Ela disse que ainda serão precisos alguns meses de recuperação até que a geração de emprego supere as demissões.

Desde o início da crise, em dezembro de 2007, a economia americana perdeu 6,9 milhões de vagas. Mas a trajetória desses postos mostra sinais positivos. Afinal, os 216 mil empregos perdidos em agosto foram bem menos que os 230 mil estimados pelos analistas. E é o menor número desde agosto de 2008, quando a crise se agravou. Com isso, o índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, subiu 1,03%.

Esta semana, o vice-presidente, Joe Biden, afirmou que o pacote de estímulo de US$787 bilhões foi a principal razão da virada recente na economia.

“Em vez de falarmos sobre o começo de uma depressão, estamos conversando sobre o fim de uma recessão”, disse.

A empresa de consultoria econômica IHS Global Insight estima que o pacote de estímulo seja responsável por um aumento de um ponto percentual no Produto Interno Bruto (PIB, a soma de bens e serviços produzidos pelo país) em 2009. E que as medidas salvaram, este ano e em 2010, dois milhões de empregos.

Quer receber mais informações? Siga o ZAP Imóveis no Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.