29/09/2009

Admirável mundo retrô

Fonte: O Estado de S. Paulo

Relíquias encontradas em lojas de usados ganham nova roupagem e deixam a casa como nos tempos da sua avó

(Foto: Zeca Wittner/AE)
Designer Celso Longo e a ilustradora Veridiana Scartelli no apartamento decorado com móveis estilo retrô (Foto: Zeca Wittner/AE)

Apaixonados por decoração procuram nas antiguidades estilo e personalidade, colecionadores incuráveis garantem que um móvel com história vale muito mais do que um novo, e um terceiro grupo está atrás do que é mais barato, quando se trata de móveis usados. Seja como for, o garimpo se justifica. Afinal, pode-se encontrar verdadeiras preciosidades no meio do caminho.

O legado da família, mais alguns itens comprados em lojas de usados, transformou a casa da ilustradora Veridiana Scartelli, de 30 anos, e do designer gráfico Celso Longo, de 32, em um apartamento retrô com um toque moderno. “Trocamos os tecidos das poltronas, pintamos a geladeira de azul, pegamos algumas gravuras que eram da minha tia avó das décadas de 50 e 60”, conta a ilustradora. Já Neide Dantas, de 35 anos, moradora de um prédio construído em 1958, em São Paulo, tem um jeito particular de compor o antigo no ambiente. Na sala de jantar do seu apartamento, decorado pelo arquiteto Antônio Ferreira Junior, a mistura de móveis originais dos anos 50 e 60 com objetos contemporâneos reflete a personalidade ímpar da empresária.

Para a jornalista e adoradora de antiguidades Márcia Dutra, de 40 anos, móveis antigos têm muito mais charme. “É mais fácil eu falar o que é novo do que falar o que é antigo nessa casa”, orgulha-se. Ela avisa ainda que o segredo para conservar essas raridades é ter bons restauradores. Mas, em oposição à valorização da história por trás do objeto, está o videomaker Rodrigo Moterani, de 33 anos, que aposta nessa mesma busca só para economizar.

CAFOFO RETRÔ – Bia Braune, de 32 anos, roteirista de TV, é adepta do visual “casa de vó” e fica nervosa com o minimalismo. “Onde essas pessoas guardam suas lembranças, a sua bagagem?” Como uma verdadeira caçadora de preciosidades baratas, principalmente no Mercado Livre, Bia criou uma das comunidades mais antigas do Orkut, que já passa dos 6.500 membros, a “Vá de Retrô”. Depois dessa experiência, resolveu criar uma comunidade no Flickr, chamada “Cafofo Retrô”. “O Flickr é uma excelente ferramenta de busca para ideias criativas” – além de ser um lugar onde as pessoas podem trocar dicas de lojas e serviços. 

Entre os cerca de 100 membros que colocam fotos de móveis e objetos de decoração com visual retrô – sejam eles antigos ou versão remix – está Viviana Agostinho, de 32 anos, que mora na Califórnia. “Adoro essa estética futurista dos Jetsons misturada com objetos dos anos 50”, confessa. Para ela, o mais incrível de objetos e moveis antigos é que as pessoas podem até cruzar o mundo atrás de tesouros, mas, muitas vezes, eles estão mais perto do que se imagina. “Basta fazer uma visita para os avós ou para as tias.” E acrescentar um charme muito próprio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.