28/09/2007

Agora é hora para comprar

Fonte: Jornal da Tarde

Estabilidade economica do país torna favorável e segura a aquisição em prazos mais longos

José Luis da Conceição/AEZap o especialista em imóveisO economista Anderson Faustino, de 24 anos, mostra na maquete o seu futuro apartamento, ainda em obras

A lista de recomendações para quem pretende comprar um imóvel pode até assustar – e tem explicação tamanha a importância da aquisição–, mas no que depender da atual situação econômica do país e do profissionalismo das empresas que dominam o mercado imobiliário – 22 já abriram capital –, o momento não poderia ser melhor para investir na conquista da casa própria.

É com base em números, no conhecimento que adquiriu e, principalmente, na experiência que está vivendo que o jovem economista Anderson Faustino, de 24 anos, defende a tese.“Agora é hora para quem quer comprar o primeiro imóvel”, afirma o especialista, que, desde outubro do ano passado, vem pagando as prestações do seu
apartamento.

“O mercado imobiliário está bem desenvolvido, e a estabilidade econômica tem permitido realizar um planejamento a longo prazos em que o país entre em colapso”, explica Faustino. A perspectiva promissora do cenário nacional o animou a comprar, ainda na planta, um apartamento de R$ 80 mil no bairro Campos Elíseos, na região central de São Paulo.

Com os rendimentos que já obteve em quatro anos de investimento em ações na Bolsa de Valores, ele conseguiu “formar um colchãozinho” e hoje paga, sem ter dado entrada, parcelas de R$ 1,1 mil. “Quando completar R$ 16 mil vou fazer financiamento junto a um banco de no máximo quatro anos”, relata.

O futuro apartamento de Faustino segue o padrão que os especialistas do mercado imobiliário definem como estilo flat voltado aos jovens solteirões. Tem piscina, academia e lavanderia americana, idealizado para quem mora sozinho e vai para casa apenas para dormir. “O jovem solteiro quer um apartamento bacana. Como ele mora com a família, pode dispor mais da renda individual e comprometê-la mais do que um chefe de família, por exemplo. Por isso, acabam comprando produtos melhores”, afirma Fábio Rossi Filho, diretor da Itaplan Imóveis, que tem comercializado produtos
voltados para esse perfil.

Segundo uma pesquisa realizada pela imobiliária, 45% dos compradores são solteiros e, desses, 65% são mulheres. Rossi Filho conta que, embora muitos deles acabam contando com a ajuda financeira dos pais para pagar o imóvel,42% utilizam o FGTS para conseguir quitar parte do bem.

O coordenador do Centro de Estudos de Finanças Pessoais e Empreendedorismo (Cefipe), Marcos Silvestre, aconselha utilizar os recursos do Fundo para esta ocasião.“É um excelente momento para fazer uso do FGTS”, diz. “O problema é que se o jovem ficar desemprega do depois, não vai ter mais essa reserva”, salienta.

Aliás, o desemprego é um dos fantasmas que nem o bom momento da economia pode afastar. Por isso, recomenda-se contar com a retaguarda financeira dos pais nesse tipo de empreitada. “É muito bom ter essa garantia. Se eu ficar desempregado, eles vão me ajudar”,garante Faustino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.