19/11/2009

Alternativas para proteger a casa durante os apagão e oscilações de energia

Fonte: O Globo

Rio de Janeiro – A energia da casa começa a oscilar. Pela janela, a cidade já está pouco iluminada. Então, os moradores correm para a despensa e procuram velas, lanternas, um punhado de luz qualquer para não ficarem no escuro. E agora? As lâmpadas que antes estavam acesas devem ser apagadas? E o que fazer com a geladeira, a televisão e as luminárias, para que não haja riscos de curtos-circuitos ou de aparelhos queimados? Diante de um apagão ou de uma queda repentina de energia, dizem especialistas, alguns cuidados devem ser tomados com eletrodomésticos e interruptores até então ligados.

Luminária de emergência para usar durante quedas de energia e apagões (Foto: Divulgação)
Luminária de emergência para usar durante quedas de energia e apagões (Foto: Divulgação)

Os aparelhos com tomadas sem aterramento (aqueles que não têm o terceiro pino) são os mais vulneráveis. Por isso, as tomadas e os plugues de equipamentos eletroeletrônicos fabricados no país já começaram a ser substituídos por um novo padrão. A troca foi determinada por uma resolução do Conselho Nacional de Metrologia (ConMetro). De acordo com a engenheira elétrica do Conselho Regional de Engenheiros e Arquitetos, Regina Muniz, o aterramento protege os aparelhos elétricos de panes por descargas elétricas ocasionadas no retorno da energia luminosa. A engenheira aconselha desligar equipamentos de maior valor aquisitivo e as ligações com benjamins.

“Em caso de oscilações, é bom o morador apagar todas as luzes que estavam acesas ou até mesmo desligar os disjuntores. É recomendável ter um disjuntor separado para o chuveiro elétrico e outro para tomadas específicas de equipamentos de baixo consumo. Também é aconselhável utilizar o mínimo possível de benjamins, pois esse tipo de acessório sobrecarrega a tomada, provoca aquecimento dos fios da carga, e em certos casos podem provocar oscilações de corrente”, alerta a engenheira.

As regiões do Rio mais afetadas pelas quedas de energia são as localizadas na Zona Oeste, segundo Regina Muniz. O bairro de Copacabana também tem sido bastante atingido pela falta de luz. Nessas áreas mais vulneráveis, é preciso ter atenção redobrada com os aparelhos e interruptores. O ideal é que os projetos de arquitetura sejam feitos de maneira a aproveitar, ao máximo, a iluminação natural. Assim, a casa fica mais protegida de uma sobrecarga elétrica e o morador ainda reduz o seu consumo de energia.

EQUIPAMENTOS DE EMERGÊNCIA PARA A FALTA DE LUZ – As velas são fiéis e econômicas companheiras na ausência de luz. Mas, se o morador prefere evitar ter fogo aceso em casa, as luminárias de emergência podem ser uma boa opção para não ficar no escuro. Robson Zunta, gerente da loja especializada em equipamentos elétricos Sergon Codimel, explica que esses equipamentos ficam ligados na tomada carregando as baterias e são acionados quando a energia começa a oscilar. O preço varia entre R$ 29 e R$ 35. E há ainda outras alternativas.

“A procura por luminárias de emergência aumentou em 100% depois do apagão. Mas além delas, há também lanternas recarregáveis e minilâmpadas sensíveis ao toque que funcionam com apenas três pilhas palito. Estas podem ficar dentro do armário ou fixadas na parede”, diz Zunta.

ENCONTRE SEU IMÓVEL NO ZAP:


 

LEIA MAIS:

DICAS PARA ENFRENTAR A FALTA DE LUZ E ÁGUA

ONS REDUZ GERAÇÃO DE ITAUPU PARA EVITAR APAGÃO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.