16/12/2008

Aluguéis de temporada para praias mais reservadas do Rio e Niterói estão em alta

Fonte: Jornal da Tarde

As praias mais afastadas vêm atraindo turistas que querem sossego, natureza e até preços mais acessíveis

Zap o especialista em imóveisPraia do Sossego, em Camboinhas

Rio de Janeiro – Camboinhas, o principal destino da Região Oceânica de Niterói, também sofreu aumento nos preços para a temporada de verão, devido à crise financeira e da alta do dólar, assim como ocorreu com Búzios, Cabo Frio e Paraty. O aumento chega a 40% em relação a 2007, segundo a corretora de imóveis Miriam Schmidt, da A. Pessanha, uma das imobiliárias que faz contratos de aluguéis de temporada. Ela garante que a mudança nos valores partiu dos proprietários dos imóveis, assim que perceberam a desistência dos turistas dos roteiros internacionais em função da crise. Mesmo assim, a procura pelos os imóveis para a temporada tem sido grande. Na A.Pessanha restam 20% das unidades disponíveis na região para o período Natal e Réveillon.

Ela ainda garante que os preços da Região Oceânica de Niterói estão bem mais baratos que Búzios, por exemplo. Em Camboinhas, a diária de uma casa de cinco quatros em frente à praia é de R$ 1.000. Já na Praia de Geribá uma casa seguindo os mesmos padrões está na faixa de R$ 5.000. Miriam destaca que há opções com preços mais baixos como flats quarto e sala, a 300 metros da praia de Camboinhas, a R$ 100 a diária no réveillon. Em janeiro, os preços caem cerca de 20%.

Quanto ao perfil das pessoas que alugam por temporada na Região Oceânica de Niterói, ela diz que 80% do público que escolhe Camboinhas é formado por famílias brasileiras de diferentes estados como Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso e Minas Gerais. Também há estrangeiros vindos da Bélgica, da Holanda e dos Estados Unidos.

“Além dos desistentes das viagens ao exterior, recebi reservas de pessoas que, preocupadas com a chuva, estão deixando de ir para Florianópolis. Também já deu para perceber que neste ano caiu o número de estrangeiros, que anteriormente se equiparava ao número de brasileiros”, afirma Miriam.

O segundo destino mais procurado na Região Oceânica é Itaquatiara, sendo que os jovens do Rio de Janeiro, Niterói e São Paulo são os mais interessados.

“A procura neste período do ano costuma é maior no carnaval. Mas esse tempo fechado está surpreendendo a todos”, diz Miriam.

O diretor da Niterói Empresa de Lazer e Turismo (Neltur), Liberato Pinto, acredita que a taxa de ocupação atingirá mais de 90% das unidades disponíveis. Ele destaca que de Camboinhas e Piratininga é possível apreciar a queima de fogos de Copacabana.

E acrescenta que não faltam quiosques que alugam mesas para quem quiser ter mais comodidade para aproveitar a passagem de ano na praia. Em Piratininga, a expectativa de público para a virada é de 60 mil visitantes.

Outra opção para as famílias que preferem praias mais reservadas e não se incomodam de ficar distantes do agito da cidade, é o Recreio dos Bandeirantes, no Oeste carioca. Claudia Maia, do site Rio Temporada, diz que todas as unidades disponíveis no site já foram fechadas e os principais interessados são os paulistas e mineiros.

“São pessoas que querem casa e apartamentos com toda infra-estrutura, como piscinas e saunas, além de preços mais acessíveis. Não estão preocupados em visitar os pontos turísticos. Querem curtir as praias daquela região e ficar por ali. A maioria virá de carro e ficará durante todo o mês de janeiro”, afirma Claudia.

A mineira Daniela Dantas conta que escolheu o Recreio porque já conhece bem o Rio de Janeiro . Ela quer aproveitar as férias para descansar com a família e ficar mais próxima à natureza. Ela deve sair de Belo Horizonte no dia 26 de dezembro e permanecer na cidade maravilhosa até o final de janeiro com os dois filhos e o marido.

“Adoro a prainha e os restaurantes que ficam perto da reserva de Marapendi. Deveremos ir alguns dias para o Leblon e Ipanema, mas é muito bom poder ficar mais isolada”, garante Daniela. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.