26/11/2013

Aluguel aumenta 0,5% em São Paulo em outubro

Já nos últimos 12 meses encerrados em outubro de 2012, os preços dos novos contratos de aluguel atingiram alta de 9,15%, resultado muito superior ao da inflação

Fonte: ZAP Imóveis

Os preços dos aluguéis mostraram que ainda têm fôlego para crescer no final do ano em São Paulo e registraram uma alta ainda maior em outubro.

Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Clique aqui e cadastre-se

Segundo pesquisa mensal do Secovi-SP (sindicato da habitação), divulgado nesta terça-feira, os contratos de locação residencial assinados no décimo mês de 2013 na capital paulista apresentaram um aumento médio de 0,5% em relação a setembro.

Os imóveis de um quarto foram os que tiveram maiores elevações médias no aluguel: 1% em outubro (Foto: Banco de Imagens / Think Stock)

A alta é maior do que o verificado no último levantamento da entidade, que mostrou que as parcelas de aluguel haviam sido reajustadas 0,2% acima dos valores registrados em agosto.

Já nos últimos 12 meses encerrados em outubro de 2012, os preços dos novos contratos de aluguel atingiram alta de 9,15%, resultado muito superior ao da inflação registrada no mesmo intervalo (outubro de 2012 a outubro de 2013).

O IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), que é o índice mais utilizado como base para o reajuste anual dos contratos em vigor, foi de 5,27%.

“É certo que, nos próximos meses, o aluguel continuará subindo acima do IGP-M, no acumulado de 12 meses. Mas, essa diferença já foi bem maior. Em agosto, por exemplo, eram seis pontos percentuais; em outubro, de 3,9%”, comparou Walter Cardoso, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi, via nota.

Ainda segundo a entidade, as residências de um quarto foram as que tiveram maiores elevações médias no aluguel: 1% em outubro. Já os imóveis de três dormitórios registraram alta de 0,6%, enquanto as moradias de dois quartos ficaram com seus valores estabilizados no período.

A modalidade de garantia mais utilizada foi o fiador, usado em 47,5% das locações efetuadas. O depósito de três meses de aluguel também foi muito utilizado, em cerca de um terço dos casos. Já o seguro-fiança foi o instrumento jurídico aplicado em um quinto das negociações.

Confira a evolução dos reajustes dos aluguéis no ano:

jan/13 – 0,5%
fev/13 – 0,7%
mar/13 – 0,1%
abr/13 – 1,0%
mai/13 – 0,9%
jun/13 – 1,2%
jul/13 – 0,7%
ago/13 – 1,7%
set/13 – 0,2%
out/13 – 0,5%

2 Comentários

  1. Favor esclarecer:Na matéria “Novo IPTU pode gerar alta nos aluguéis em SP”, você afirmam que “os aluguéis caíram 13,95% em agosto em relação a julho, ainda segundo o Creci. A queda no número de novas locações ocorreu em três das quatro regiões do Estado que compõem a pesquisa: Interior (- 11,26%), e nas cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco (- 44,87%), que formam a Grande São Paulo. Já Capital registrou retração de 1,99%, enquanto no Litoral houve aumento de 10,07% no mesmo intervalo de comparação.” (http://revista.zap.com.br/imoveis/novo-iptu-pode-gerar-alta-nos-alugueis-em-sp/).Aqui, vocês informam que em agosto houve AUMENTO de 1,7% dos aluguéis em relaçao ao mês anterior. Afinal, o aluguel aumentou ou diminuiu??

  2. Olá Felipe. A primeira matéria é uma PREVISÃO que o Creci-SP fez CASO o IPTU aumente em São Paulo. Já a segunda matéria é uma pesquisa mensal do Secovi mostrando que o aluguel aumentou em outubro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.