08/12/2008

Aluguel residencial ainda em alta

Fonte: Jornal da Tarde

Em outubro, o aumento foi de 0,8%, o que, nos últimos 12 meses, soma 12,33% de elevação nos preços dos aluguéis

A pesquisa mensal sobre locação do Secovi-SP (Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo) mostra que o aluguel residencial continua em alta na Capital. Em outubro, o aumento foi de 0,8%, o que, nos últimos 12 meses, soma 12,33% de elevação nos preços dos aluguéis.

O acumulado está mais alto do que a inflação apresentada no mesmo período. O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), apresentou em 12 meses 6,41% de aumento. O IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), da Fundação Getúlio Vargas, subiu 12,23%.

O maior reajuste ficou por conta dos imóveis de três dormitórios, que tiveram aumento de 1,6% em outubro. Já as unidades de dois dormitórios subiram 0,4%, e os de um quarto, 0,8%.

Entre os destaques da pesquisa, o bairro de Itaquera apresentou elevação de até 13% para os imóveis de três dormitórios. Na Aclimação, esse reajuste foi de 12%. No segmento de um quarto, Perdizes e Pompéia apresentaram alta de 11% e 8,5%, respectivamente.

No acumulado dos dez primeiros meses deste ano, os imóveis que apresentaram o maior encarecimento foram os de dois dormitórios no Tucuruvi, que subiram 25%. Na Vila Mariana, o aumento médio dos reajustes da taxa de locação foi de 24%.

O levantamento também mostra que a modalidade de garantia mais utilizada nos contratos de locação foi o fiador, com 48,5% dos negócios realizados. O depósito representaram 33,5% das escolhas dos inquilinos e o seguro-fiança18,5%.

As casas têm o tempo de vacância entre 11 e 30 dias. Já os apartamentos costuma receber um novo inquilino entre 17 e 36 dias após serem entregues.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.