16/08/2012

Aluguel residencial permanece estável em São Paulo

Fonte: ZAP Imóveis

Quem fechou um acordo de locação residencial em São Paulo no último mês de julho não pagou mais caro do que alguém que já havia conseguido antes.

De acordo com o Departamento de Economia e Estatística do Secovi (Sindicato da Habitação), os contratos de locação residencial realizados na capital paulista ficaram praticamente estabilizados em julho: aumento de apenas 0,1% na comparação com o mês anterior.

Aluguel residencial permanece estável em São Paulo
Aumento do aluguel foi de apenas 0,1% em relação a junho (Foto: Tiago Queiroz/AE)

Os imóveis que registraram o maior aumento nos valores foram os de dois dormitórios, que sofreram um aumento de 0,3% em relação aos aluguéis de junho.

Já nos últimos 12 meses, a alta das locações alcançou 11,87%, a menor variação acumulada no período de um ano desde outubro de 2010, quando havia ocorrido uma elevação de 11,77%.

“Apesar da alta acumulada ainda ser superior aos principais índices de inflação, observa-se uma nítida tendência de desaceleração dos preços dos contratos de locação residencial”, diz Walter Cardoso, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação da entidade.

O tipo de garantia mais usado em julho também não se alterou. O fiador foi responsável por quase metade (47%) dos contratos assinados.

O depósito de até três aluguéis também foi bastante praticado, sendo a preferência de cerca de dois terços (32,5%) dos locatários.

Já o seguro-fiança continuou pouco lembrado e foi o instrumento jurídico de um quinto (20,5%) dos contratos de locação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.