24/07/2009

Aluguel sobe 11,3% em um ano

Fonte: Jornal da Tarde

O valor é superior à inflação, e o mës de junho teve a maior alta desde fevereiro: 0,8%

Esse porcentual é muito superior à variação do IGP-M (Foto: Verônica Lima)
Esse porcentual é muito superior à variação do IGP-M (Foto: Verônica Lima)

No acumulado dos últimos 12 meses, o aluguel residencial na capital subiu em média 11,3%, impulsionado pela redução da oferta, de acordo com pesquisa mensal do Sindicato de Habitação de São Paulo, o Secovi. Esse porcentual é muito superior à variação do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), de 1,52%, e à inflação oficial – o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) -, de 4,8%.

No mês de junho, os preços subiram 0,8% em relação ao mês anterior, maior aumento desde fevereiro, quando o aluguel médio também aumentou 0,8%, de acordo com pesquisa mensal do Sindicato de Habitação de São Paulo (Secovi).

Os valores de locação das residências de um e dois dormitórios tiveram acréscimos próximos da variação média do mês (altas de 0,7% e 0,8%, respectivamente). As unidades de três quartos foram as que apresentaram as maiores altas no período: cerca de 1%, relativo aos valores de locação de maio.

Na Vila Mariana, o aluguel de apartamentos com dois dormitórios em bom estado com vaga de garagem custa entre R$ 14,74 e R$ 16,82 o metro quadrado. No Tucuruvi, o valor mínimo encontrado é R$ 10,55 e, o máximo, R$ 11,61 o metro quadrado. No Centro, apartamentos com apenas um dormitório estão relativamente mais caros que os com dois dormitórios e são alugados por valores entre R$ 15,95 e R$ 17,96 o metro quadrado. Na Bela Vista, o mesmo tipo de imóvel pode ser alugado por R$ 13,18 a R$ 14,70 o metro quadrado.

O tipo de garantia mais usado nos contratos de locação residencial foi o fiador. Quase metade dos imóveis (49%) foi locada por meio desse mecanismo. A modalidade de depósito também foi muito utilizada – quase um terço dos proprietários (31,5%) recorreu a esse instrumento jurídico. O seguro-fiança respondeu por 19,5% das residências locadas.

As moradias que foram alugadas mais rapidamente em junho foram casas e sobrados vagos, que demoraram em média de dez a 28 dias para serem locados. Já os apartamentos escoaram em um tempo maior, visto que o Índice de Velocidade de Locação (IVL), que mede quanto tempo um imóvel vago demora a ser alugado, variou de 17 a 36 dias. Na média geral da cidade, uma nova ocupação pode ocorrer em um intervalo de tempo médio de 12 dias.

NÚMEROS – 1% de aumento foi quando subiram os preços de apartamentos com três quartos;
R$ 17,96 o metro quadrado é o preço máximo cobrado por apartamentos com um dormitório no Centro da cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.