06/12/2007

Aluguel sobe até 32,7% em SP

Fonte: Jornal da Tarde

Novos empreendimentos e oferta pequena ajudaram a elevar preços da locação na Capital

Itamar Miranda/AEZap o especialista em imóveisApartamentos para alugar em São Paulo: bairro se valoriza e puxa aluguel

O valor do aluguel na Cidade de São Paulo subiu até 32,71% de janeiro a outubro deste ano, conforme levantamento do Sindicato da Habitação (Secovi). Uma alta expressiva se considerada a inflação medida pelo Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que, no mesmo período, foi de 5,15%. O IGP-M é o indicador usado para os reajustes dos aluguéis.

Esse porcentual de 32,71% foi obtido com a análise dos preços do metro quadrado (m²) de um imóvel de três dormitórios, em estado regular na Zona Oeste A – que inclui bairros como o Alto da Lapa, o Alto de Pinheiros, Lapa, Perdizes, entre outros. Em janeiro, o valor do metro quadrado para locação era de R$ 8,65 e em novembro subiu para R$ 11,46 – variação de 32,71. A divisão do Secovi agrupa bairros conforme o valor comercial do imóveis, não obedecendo sempre os limites geográficos.

“O imóvel em estado regular demorava mais para alugar nessa região, já que havia mais oferta. Quando o estoque diminuiu, esses imóveis passaram a ser mais procurados e o valor do aluguel foi valorizado”, justifica o consultor econômico do Secovi, Cícero Yagi.

De acordo com o consultor, os imóveis regulares ficavam mais tempo ‘na prateleira’. Mas com a valorização de algumas regiões, como a Zona Oeste, com um grande volume de novos empreendimentos, o preço desses imóveis subiu e o tempo de espera para a locação caiu. Prova disso é que os imóveis de um dormitório na mesma região ocuparam o quinto lugar no ranking dos aluguéis que mais subiram , passando de R$ 11,31em janeiro para R$ 13,61 em outubro (aumento de 20,33% no período).

A região central, que segundo o Secovi, engloba os bairros Barra Funda, Bom Retiro, Cambuci, Liberdade, Pari, Santa Cecília e o Centro, passou por um processo de revitalização e alugar um apartamento ou casa por lá também está mais caro. O imóvel de três dormitórios subiu 30,36% (de R$ 7,31 para R$ 9,53 o m²), já o de um dormitório passou de R$ 8,52 para R$ 10,56 de janeiro a outubro (23,94% a mais), ocupando o segundo e o quarto lugares do ranking, respectivamente.

“Isso é um reflexo da movimentação imobiliária na região, por conta das obras de revitalização. Também há muita gente do mercado informal que prefere morar nesses bairros porque são mais próximos dos grandes centros comerciais. Com o aumento da procura, o valor do aluguel também sobe”, diz Yagi.

O consultor do Secovi explica ainda que, na média total, o aumento do valor dos aluguéis ficou em 7% até agora. “Os apartamentos de um e dois dormitórios sempre sobem mais porque são os mais procurados. Mas os imóveis de três dormitórios, que durante muitos anos tiveram o preço da locação baixo, vêm apresentando um sensível recuperação, por conta de uma maior demanda”, diz.

Mas, há regiões na Capital em que o valor do metro quadrado para locação caiu, embora com porcentuais menos expressivos que os dos aumentos. É o caso do imóvel de um dormitório, em bom estado na Zona Oeste, que caiu 13,13%. Era R$ 12,71 em janeiro e chegou a R$ 11,04 em outubro.

Maior baixa 

13,13
por cento foi o maior índice de queda no preço do aluguel, por metro quadrado, de imóveis de um dormitório, em bom estado, nos bairros Alto da Lapa, Alto de Pinheiros, Lapa, Perdizes,
Pinheiros, Pompéia, Sumaré, Vila Leopoldina e Vila Madalena, na Zona Oeste da Capital

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.