19/11/2009

Apagão: 1,5 mil queixas em SP

Fonte: O Estado de S. Paulo

Concessionárias e Procon estão recebendo reclamações desde a manhã de quarta-feira

(Foto: stock.xchng)
(Foto: stock.xchng)

Os pedidos de indenização por conta do apagão da última terça-feira já estão chegando às distribuidoras e aos órgãos de defesa do consumidor. No Estado de São Paulo são 1.539 os consumidores que já solicitaram reparação de equipamentos danificados. A AES Eletropaulo recebeu 1,2 mil solicitações, enquanto o Procon de São Paulo registrou 329 ligações.

Segundo o presidente do grupo AES Brasil, Britaldo Soares – que administra a AES Eletropaulo -, o serviço de call center, as lojas e os postos de atendimento da distribuidora registraram reclamações dos clientes sobre as perdas dos equipamentos desde anteontem. “Recebemos ao menos 1,2 mil ligações com pedidos de indenização”, afirmou o executivo, em teleconferência para jornalistas sobre os resultados do grupo no terceiro trimestre de 2009.

ORIENTAÇÃO – O Procon de São Paulo continua orientando consumidores que procuram o órgão desde quarta-feira. O primeiro passo, segundo os técnicos da entidade, é entrar em contato com a concessionária de sua região comunicando os dados e solicitando o ressarcimento (leia mais orientações nesta página).

O Procon informa ainda que a empresa tem de comunicar ao consumidor a data e o horário aproximado da inspeção aos equipamentos danificados. Caso essa vistoria não ocorra, o prazo para resposta deve ser de 15 dias contados a partir da data de solicitação do ressarcimento.

Segundo Britaldo Soares, a AES Eletropaulo irá investigar os pedidos de reparação de danos nos equipamentos dos seus clientes. “Vamos avaliar os pedidos conforme o previsto na regulação do setor. Temos de constatar se o apagão realmente estragou os eletrodomésticos.”

PREJUÍZO FINANCEIRO – O presidente da AES Brasil disse que o apagão causou perda de receita à concessionária e influenciou negativamente nos indicadores de qualidade da prestação de serviço. “Mas ainda não temos como avaliar as perdas provocadas à empresa”, afirmou.

O apagão teve início às 22h13min do dia 10 de novembro, de acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Soares explicou que o fornecimento de energia na área de concessão da empresa começou a ser retomado a partir de uma hora após a pane na rede de transmissão, com o suprimento sendo normalizado por volta das 4h do dia 11.

A retomada no abastecimento ocorreu após o aumento da geração de algumas hidrelétricas no Estado de São Paulo, como Henry Borden e Ilha Solteira. “Após duas horas da ocorrência, tínhamos 37% dos pontos de consumo de energia já religados. “

Ele informou ainda que a pane da hidrelétrica de Itaipu, com o desligamento das linhas de transmissão que escoam a energia da usina, também impactou as operações da AES Tietê. “As usinas foram afetadas e desligadas, dado o sistema de proteção que possuem. Mas uma hora depois da ocorrência já estavam conectadas, como solicitou o ONS.”

ENCONTRE SEU IMÓVEL NO ZAP:

LEIA MAIS:

PREPARE O BOLSO ANTES DE SE MUDAR

SOLUÇÕES DE MARCENARIA COM MOVIMENTO MUDAM A CARA DE AMBIENTES

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.