14/05/2013

Arquitetura “gelada”: conheça o projeto da nova base brasileira na Antártica

Arquitetura "gelada": conheça o projeto da nova base brasileira na Antártica

Fonte: Revista do ZAP

A proposta do escritório paranaense Estúdio 41 foi a primeira colocada no concurso para escolha do projeto da nova Estação Antártica Comandante Ferraz

Em alguns locais do planeta, as condições climáticas são tão extremas que planejar e erguer construções podem ser atividades incrivelmente complexas. Os profissionais do escritório paranaense Estúdio 41 tiveram um desafio dessa magnitude ao desenvolverem o projeto da nova sede brasileira na Antártica, destruída por um incêndio em 2012. A proposta dos arquitetos para a Estação Antártica Comandante Ferraz foi a primeira colocada no concurso promovido pela Marinha do Brasil, com organização pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), e desbancou outros 73 concorrentes.

Estúdio 41-base brasileira na Antártica-Estação Antártica Comandante Ferraz

 

Estúdio 41-base brasileira na Antártica-Estação Antártica Comandante Ferraz

 

Com um investimento estimado em R$ 72 milhões, a base deve ter suas obras iniciadas no próximo verão antártico. Ainda no final de 2013, o processo de licitação para a execução do projeto deve ser concluído, e a Marinha estima que o complexo entre em operação até março de 2015. Além do contrato de construção da base, os vencedores recebem R$ 100 mil como prêmio.

Estúdio 41-base brasileira na Antártica-Estação Antártica Comandante Ferraz


 

Para a implantação dos edifícios propostos, o Estúdio 41 levou em consideração a topografia da Península Keller e as necessidades de preservação das áreas de vida animal e vegetal do entorno, entre outros fatores. Diversas condições previstas pelo Zoneamento Ambiental de Uso serão respeitadas de modo a minimizar os impactos na natureza.

Estúdio 41-base brasileira na Antártica-Estação Antártica Comandante Ferraz

 

Os setores funcionais estão organizados em blocos que distribuem os usos. O bloco superior abriga os camarotes, áreas de serviço e de jantar/estar. Já no bloco inferior foram incorporados os laboratórios e as áreas de operação e manutenção. Esse mesmo bloco abriga as garagens e o paiol central.

Estúdio 41-base brasileira na Antártica-Estação Antártica Comandante Ferraz

 

Um bloco transversal reúne os usos social e de convívio. Nesse trecho estão posicionados a sala de vídeo/auditório, a lan house, a sala de reuniões e videoconferência, a biblioteca, e o estar. Os edifícios são suspensos sobre pilares reguláveis de modo que podem ser adaptados às mudanças provocadas pela variação de temperatura e ao degelo.

Escritório de São Paulo fica em segundo lugar no concurso
O escritório de arquitetura Triptyque, de São Paulo, ficou em segundo lugar na competição para escolha da nova sede. A equipe projetou a base linear formada por módulos segmentados, com o objetivo de minimizar riscos – a estação anterior tinha uma estrutura única, que foi inteiramente destruída no incêndio.

Triptyque-base brasileira na Antártica-Estação Antártica Comandante Ferraz

 

A proposta também deslocaria as unidades perigosas para longe do coração da Estação. Assim, a nova estrutura seria projetada numa linha distribuidora, permitindo a setorização dos usos, a hierarquização das necessidades e a compactação dos espaços.

Triptyque-base brasileira na Antártica-Estação Antártica Comandante Ferraz

Triptyque-base brasileira na Antártica-Estação Antártica Comandante Ferraz

 

Com informações do Estúdio 41, Portal Planalto e Triptyque.

Leia mais:
>> Conheça o arranha-céu que poderá ser o mais alto de Mumbai, na Índia
>> Prédio residencial da Índia tem sacadas de vidro com piscina

Tags: arquitetura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.