30/10/2006

Bairro terá novo shopping

Fonte: O Estado de S. Paulo

Santana Parque abrirá com 180 lojas, 8 salas de cinema e grande praça de alimentação

A previsão de inauguração de um shopping no primeiro semestre de 2007 vai dar mais motivos para que os santanenses não queiram deixar a região. Aliás, o plano de negócios aposta justamente no perfil detectado após pesquisas com os futuros clientes. “Os moradores da zona norte são um pouco bairristas, não têm o perfil de sair da região para fazer compras”, diz Djalma Pereira, diretor do Grupo Internacional, responsável pelo Santana Parque.

O novo centro de compras já está em construção na esquina da Avenida Conselheiro Moreira de Barros com Rua Professor Dorival Dias Minhoto. O shopping terá 180 lojas, 8 salas de cinema e uma boa área de alimentação.

O empreendimento é aguardado com expectativa desde 1994, quando o terreno foi comprado por outro grupo, que acabou desistindo do projeto. Para Pereira, a demanda existe e ficou reprimida nesses 12 anos. Os atuais donos agora trabalham com a perspectiva de aumento do padrão de vida na área de influência do shopping e acreditam que a região sofrerá um impacto positivo com criação de 2 mil empregos diretos no Santana Parque.

A mudança no perfil imobiliário, por sua vez, já é uma realidade. Um exemplo está no limite entre os bairros de Santana e do Mandaqui, onde será erguido um edifício residencial de alto padrão. Batizado de Ápice Santana, o prédio terá apartamentos com quatro dormitórios e 121 metros quadrados. Entre os destaques do condomínio, a bela vista para a Serra da Cantareira.

No banco de dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), Santana aparece como alvo de empreendimentos de alto padrão. Nos últimos dois anos, ocorreram 21 lançamentos residenciais desse gênero, com área útil média de 117,77 m². Cerca de 85% dos prédios novos têm três, quatro ou mais dormitórios. Os preços chegam a R$ 500 mil, valor considerado alto para a região.

O subprefeito de Santana e Tucuruvi, Luiz Antônio Pacheco, explica que a atração dos investidores se justifica em parte pela excelente infra-estrutura do bairro. “É uma região muito bonita e próxima do centro, com todos os serviços públicos. É quase uma cidade. Nenhuma outra subprefeitura reúne tantos serviços quanto os que podemos prestar”, diz Pacheco.

Trânsito

Para ele, a preocupação dos moradores com o impacto desses empreendimentos no trânsito não tem muita justificativa. “A maior expansão está localizada em uma área que consegue absorver mais carros”, diz o subprefeito.

Mesmo assim, melhorar a circulação de veículos é uma prioridade. Projetos de novas vias de ligação estão previstos no plano regional estratégico. Uma das necessidades apontadas pelo subprefeito é a ligação entre as Avenidas Cruzeiro do Sul e Engenheiro Caetano Álvares. Uma das possibilidades é a construção de um túnel. “Esta expectativa é mais antiga do que a recente expansão do bairro”, diz. Para melhorar os acessos, o plano também prevê a ligação da Brás Leme com a Ataliba Leonel e da Tucuruvi e com a Doutor Antônio Maria de Laet. O plano regional está em revisão e estabelece várias metas que devem ser cumpridas até 2012.
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.