25/09/2008

Bancos facilitam compra no Salão Imobiliário

Fonte: O Estado de S. Paulo

Taxas de juros e tarifas reduzidas são atrativos do evento que começa hoje, em São Paulo

Depois de as construtoras participantes do 3º Salão Imobiliário de São Paulo (Sisp) informarem que irão aceitar até moto como entrada no financiamento do imóvel, chegou a vez de os bancos trabalharem para facilitar a vida do consumidor que quiser comprar a casa própria no evento. Juros mais baixos e isenção de tarifas são algumas das ações promocionais que as instituições financeiras prepararam para a feira, que ocorre de hoje até domingo no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na Zona Norte.

Lá, serão oferecidas mais de 30 mil unidades, 18 mil delas residenciais. Todas podem ser adquiridas por meio de financiamento. Para imóveis que custam mais de R$ 120 mil, a modalidade de empréstimo indicada é Sistema Financeiro da Habitação (SFH), que utiliza recursos da poupança. Como boa parte das unidades residenciais disponíveis no Salão está nessa faixa de preço, os bancos que participarão do evento vão trabalhar principalmente com esse tipo de financiamento.

Nessa modalidade, Real e Santander oferecem durante a feira taxas de juros mais baixas do que as praticadas por eles normalmente. Em ambos os casos, a taxa foi reduzida em 0,5 ponto porcentual, partindo agora de 10,5% ao ano mais TR para financiamentos de imóveis acima de R$120 mil. “Com essa redução, pretendemos realizar cerca de 3 mil avaliações de crédito, 1 mil a mais que na edição anterior do Salão”, afirma Antônio Barbosa, superintendente de crédito do Real.

O HSBC também apresenta no Salão condições de empréstimo mais atrativas que as usuais. Sob a marca Losango, o banco lança no evento uma linha de financiamento de imóveis populares (para unidades a partir de R$40 mil) com taxas de juros anuais a partir de 7,7% ao ano. Para ter acesso às tarifas promocionais desses bancos, basta realizar a análise do crédito durante o Salão e fechar negócio até 90 dias após o encerramento do evento.

Outras instituições vão dar descontos na cobrança da tarifa de avaliação da garantia de imóvel, que chega a custar até R$ 750. A Nossa Caixa vai fazer o serviço de graça para os visitantes. Já o Bradesco cobrará o valor promocional de R$ 220.

“O objetivo do Salão é facilitar ao máximo a compra da casa própria, reunindo as principais entidades do setor em um só lugar e oferecendo várias opções de imóveis e de financiamentos ”, diz João Crestana, presidente do Sindicato da Habitação (Secovi-SP). A entrada no Salão custa R$ 10 por família.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.