11/03/2020

Dicas para montar um barzinho de sala

Para salas grandes ou pequenas, saiba como ter um cantinho especial no ambiente de casa

Fonte: ZAP em Casa

Se antigamente o barzinho da casa ocupava uma grande área da sala, com um balcão enorme, uma parede inteira de prateleiras repletas de bebidas, copos e taças, hoje, com os apartamentos cada vez menores, o conceito vem mudando. Mas o espaço continua ganhando destaque na decoração do ambiente. Uma parede embutida, um carrinho, uma prateleira no cantinho, são muitas as formas que o barzinho pode aparecer na sala. Vale ressaltar que ele pode se encaixar em qualquer tipo de imóvel, seja grande ou pequeno, sempre há espaço para ter um barzinho na sala. E ele é ideal para quem gosta de organização, praticidade e, principalmente, de receber os amigos em casa. Confira as dicas para montar um barzinho na sala.

barzinho de sala para espaços pequenos 

Hoje em dia, o mais comum é que os apartamentos não tenham uma área muito grande, então aproveitar cada cantinho pode tornar a decoração mais especial. E isso não significa que o resultado será tão bom quando se conta com um espaço maior. Um barzinho pode se encaixar em um ambiente como uma sala pequena e, inclusive, ganhar destaque nela. Basta adaptar o projeto da melhor maneira para que o resultado fique perfeito e atenda às necessidades e expectativas do cliente. “Em ambientes pequenos teremos um barzinho com dimensões reduzidas, porém este poderá ser tão agradável e funcional quanto um maior, basta ter à mão as bebidas de sua preferência, os utensílios para preparar e servir, uma decoração aconchegante e uma bancada com altura apropriada para preparo”, explica o arquiteto Artur Diniz.

Dicas para montar um barzinho de sala
(Foto: Divulgação)

Mesmo com o espaço limitado, as possibilidades são muitas. “Pode-se aproveitar a superfície de algum móvel existente para criar o tão desejado barzinho: pode ser um aparador, um rack, uma prateleira, uma mesa lateral ou até mesmo uma cristaleira. Basta dispor ali as bebidas, taças, bandejas e alguns utensílios”, detalha o arquiteto. Essa foi a escolha do casal formado pela administradora Giovanna Martorelli e o personal trainer Thiago Felipe, que primou pela organização, mas não só isso. O barzinho na sala complementa e facilita o estilo de vida que eles levam. “Eu quis porque é um espaço específico e deixa bem mais organizado. A gente coloca não só as bebidas, mas também as taças e copos, que eu adoro. Mas o motivo principal da decisão de ter um barzinho na sala é porque a gente ama receber amigos em casa”, explica ela.

Além disso, para que o barzinho seja mais assertivo, é possível investir em um móvel personalizado. “Como os itens, em sua maioria, são estreitos, como garrafas, copos, taças, coqueteleiras, é possível também criar um móvel planejado com pouquíssima profundidade e que, além de não prejudicar as dimensões do ambiente, vai resultar em um elemento a mais para enriquecer a decoração. O limite poderá ser o espaço disponível”, acrescenta.

Elementos do barzinho de sala

Para uma sala pequena, além das dimensões, todos os elementos que vão ser usados no barzinho devem ser bem pensados para aproveitar o espaço da melhor forma. “Primeiro é preciso estudar os locais onde o layout favorece a disposição do barzinho. O ideal é que este seja convidativo e faça parte das áreas sociais, como estar, jantar ou varanda gourmet”, aponta Artur Diniz. Já os gostos pessoais dos proprietários também serão determinantes para a composição do cantinho do barzinho.

Dicas para montar um barzinho de sala
(Foto: Divulgação)

Para o jornalista Bruno Vasconcelos, o barzinho vai além do que uma forma mais prática na hora de receber os amigos em casa. Esse é um espaço que remete também às boas lembranças. “Mais do que um item de decoração, o barzinho na sala facilita a minha vida, pois quando você recebe visitas sempre tem alguma bebida legal para oferecer. Isso é praticidade. É também um espaço que expressa um pouco do meu trabalho, que me permite viajar bastante, pois no barzinho guardo fotos, miniaturas de carros e alguns itens de artesanato que trago de fora”, pontua.

Em relação aos eletrodomésticos, o uso deles vai depender do que os moradores desejam com o barzinho. “A existência de adega ou cervejeira vai estar condicionada às preferências do moradores e que tipo de bebida devem ser armazenadas. O lado positivo é que estes eletrodomésticos podem estar dispostos no chão, liberando espaço nas bancadas mais altas. Já os carrinhos com rodízios, mesmo os menores, são super práticos pela sua versatilidade, podendo transportar as bebidas de um ambiente ao outro, facilitando os momentos de reunião”, ressalta.

Carrinhos

Os carrinhos se tornaram uma sensação para quem deseja ter um barzinho na sala, mas não dispõe de muito espaço. E eles vão além da funcionalidade, mas é preciso ter cuidado na hora da escolha. “O carrinho é um elemento que é dotado de grande apelo estético, pelo seu design diferenciado. Para acertar na escolha, alguns passos devem ser seguidos: a escolha correta do local e seu diálogo com os demais móveis, os materiais de acabamento, o estilo do carrinho e as dimensões corretas”, reforça o arquiteto.

Inclusive, o carrinho pode ter várias interpretações na decoração, a depender da escolha. “Como peça curinga, o carrinho pode assumir no ambiente um papel harmônico ou contrastante com o estilo predominante. Quando mantemos o mesmo estilo do ambiente, o carrinho assume uma postura mais discreta. Mas podemos também optar pelo contraste e valorizar ainda mais este elemento. O estilo e os materiais de acabamento dos carrinhos podem ser responsáveis por dotar o espaço de um ar mais jovial, descontraído, formal, clássico ou mais sofisticado. A escolha, assim como toda a decoração, vai refletir a personalidade do ambiente e dos moradores”, afirma.

Dicas para montar um barzinho de sala
(Foto: Divulgação)

O carrinho, inclusive, pode surpreender e se tornar o xodó da decoração do ambiente. Um cantinho que nasceu sem grandes pretensões se tornou o lugar mais especial na sala do casal de jornalistas Luciana Elldorf e Mateus Lima. “Quando a gente decidiu fazer o projeto do apartamento, por ser pequeno, a gente decidiu que ia deixar um espaço para bebidas, para colocar no carrinho, ao lado do sofá, porque a gente achava que ia ficar prático. E, na verdade, hoje a gente acha que ficou muito bonito, mais charmoso do que a gente imaginava. Além disso, é um canto que facilita muito para receber visitas, a gente coloca balde de gelo, as bebidas. Ele deu um toque totalmente diferente ao apartamento. A gente achou que poderia ficar uma pegada mais antiga e retrô, mas hoje o nosso barzinho é o lugar de destaque da sala. A gente colocou uma luminária em cima dele e conseguiu dar destaque a ele”, ressalta ela.

Embutidos

Para quem não abre mão de ter um barzinho na sala, mesmo com espaço reduzido, muitas vezes não existem muitas opções, mas não é preciso desistir do projeto. “Em ambientes pequenos, um espaço embutido pode, às vezes, ser a única maneira de viabilizar nosso barzinho. Mas não se preocupe: com a ajuda de algumas poucas bebidas, uma bandeja e alguns utensílios, este espaço vai trazer ainda mais beleza à decoração”, explica Artur Diniz. Mesmo que não tenha muitas variações, essa única possibilidade pode ganhar diferentes interpretações. “Os materiais podem ser os mais diversos, como madeira, metal, vidro, mármore etc., usados isoladamente ou mesclados. Os materiais mais tradicionais como madeira, por exemplo, podem ser mesclados a vidro, espelhos, aço, para dar um ar mais atual e sofisticado. Podemos usar luzes embutidas ou focais para obter um resultado ainda mais charmoso, mas devemos ter o cuidado de não expor as bebidas por longos períodos à luz artificial ou solar, para não prejudicar a qualidade das bebidas. Neste caso, é preferível adotar lâmpada de LED com temperatura morna”, aconselha.  

barzinho de sala para espaços grandes 

É natural que em salas grandes as possibilidade para ter um barzinho no ambiente aumentam. “Pode-se criar um ambiente próprio com bancada, poltronas, bancos, mesinhas e local para preparar os drinks. É possível, inclusive, ter uma bancada maior para preparo, mais eletrodomésticos como adegas, cervejeiras, mais utensílios e, claro, mais espaço para armazenar bebidas. O projeto de iluminação poderá ser próprio, com pendentes diversos acima do balcão ou na área de preparo. Se por algum motivo você não pretende deixar o barzinho exposto quando não é utilizado, uma boa solução é ocultá-lo através de uma grande e bonita porta de correr tipo painel”, aponta Artur Diniz.

O barzinho também pode se tornar um espaço acolhedor para receber as visitas em casa. “Se os moradores curtem receber os amigos para degustar bons drinks e vinhos, com certeza este vai ser o espaço preferido, então deverá ser definido desde o início do projeto, para garantir um ambiente acolhedor e funcional”, explica o arquiteto. O local escolhido para instalar o barzinho também é fundamental para conciliar com o dia a dia da casa. “É interessante também que o espaço esteja em local estratégico, integrado às áreas sociais, mas não interfira na rotina dos outros moradores da casa. Ele pode estar integrado em alguns ambientes que possam ser eventualmente isolados, como sala de jantar ou varanda gourmet. Assim, os apreciadores da bebida vão ter sua privacidade garantida”, destaca.

Composição

Para ter um barzinho que agrade em todos os sentidos, ele precisa ser funcional, mas sem deixar a questão estética de lado. Por isso, é possível fazer composições que agreguem esses dois aspectos. “É possível fazer composições interessantes e criativas utilizando prateleiras, nichos ou bancadas que vão servir de apoio ao mesmo tempo em que vão permitir criar composições interessantes no barzinho. A disposição das próprias bebidas podem ser exploradas de forma a enriquecerem a decoração, colocadas individualmente em nichos ou agrupadas em bancadas por exemplo. O ideal é tentar captar o objetivo dos moradores para aquele espaço e tentar solucionar suas necessidades”, explica Artur Diniz.

Mas é importante ter atenção às medidas, tanto para não sobrecarregar o ambiente, mas que consiga encaixar tudo que é necessário para ter o barzinho. “As superfícies devem estar adequadas às dimensões dos utensílios, das bebidas e dos eletrodomésticos. Os itens mais utilizados pode ser deixado à mostra, as bebidas menos utilizados podem ser guardadas em gavetões ou armários, pois assim vai ser possível proteger mais da luminosidade e também vai facilitar a limpeza”, acrescenta.

Material

Em relação ao material, as possibilidades são inúmeras, mas é preciso levar em consideração a harmonia com o restante da decoração. “Pode-se utilizar materiais que tenham beleza, personalidade e que dialoguem com o restante da decoração. Um exemplo é usar móveis de madeira para trazer um ar acolhedor, mas a própria decoração e o espírito do ambiente podem pedir também outros materiais como aço, ferro, vidro, espelho, pedras ou outros revestimentos diversos. Cada material vai ser responsável por dotar o ambiente de uma característica, seja formal, informal, despretensioso ou elegante”, explica o arquiteto. 

Quadros

Os quadros são uma ótima opção para deixar o espaço personalizado e existe uma variedade grande, que pode ser escolhida de acordo com os gostos dos donos. O melhor é que é uma decoração que cabe em qualquer bolso. “A variedade de quadros temáticos, com ilustrações e dizeres diversos enriquecem ainda mais o espaço, são fáceis de encontrar e tem preços bastante acessíveis. Dá para fazer composições bem interessantes agrupando de diversas formas. Quadros de leitura mais leve, com molduras mais delicadas e com vidro, são os ideais”, afirma Artur Diniz.  

Cores

Pode existir a dúvida na hora de escolher qual tonalidade usar no ambiente do barzinho, se deixa algo mais neutro e discreto ou de um jeito que chame mais atenção. A decisão é sempre complicada, mas é possível decidir pela melhor maneira. “Se a pessoa estiver na dúvida quanto às cores, é melhor optar por cores neutras ou pelas mesmas cores do ambiente, pois assim fica mais livre para ousar em detalhes do barzinho. Mas não precisam ser necessariamente cores claras. Barzinhos em cores mais sóbrias, com um bom jogo de iluminação, trazem bastante beleza e sensação de acolhimento ao espaço”, ressalta Artur Diniz.

Acessórios

Outra forma de personalizar o barzinho e deixar com a cara do dono é usar acessórios que possam dar destaque ao espaço. Copos, bandejas, balcões, tudo pode fazer parte da decoração. “O design dos acessórios para preparo e para servir as bebidas permitem que estes sejam utilizados para composição e decoração do barzinho, além dos materiais nobres de que são feitos, como aço, cristais, vidro, murano e madeira, por exemplo. Eles podem estar visíveis ou guardados em gavetas. Se estiverem visíveis, é importante que estejam agrupados em uma bandeja, pois assim a bancada ficará mais organizada. Os itens que geralmente fazem parte da composição, além das bebidas, são os copos e taças, uma tábua de corte para limão, uma coqueteleira, saca-rolhas, balde de gelo”, conclui.

+ Encontre o seu apartamento num ZAP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.