04/06/2009

BB amplia financiamento da casa própria

Fonte: Jornal da Tarde

Banco anunciou a redução das taxas de juros e aumentou o prazo para pagamento do financiamento e do teto do valor imóvel

Em busca de uma fatia maior do mercado de imóveis, o Banco do Brasil (BB) reduziu taxas de juros e ampliou o prazo de financiamento de suas linhas de crédito para o setor. Pelas novas condições, em vigor desde ontem, quando foram anunciadas, a taxa mínima encolheu de 8,9% ao ano mais Taxa Referencial (TR) para 8,4% anuais mais TR.

O BB também aumentou de R$ 120 mil para R$ 150 mil o valor máximo dos imóveis que podem ser financiados com a taxa mínima. Houve ainda mudanças no limite financiado, de 80% para 90% do total, e no prazo de financiamento, que subiu de 300 meses (25 anos) para 360 meses (30 anos).

Para Luiz Augusto Monteiro, professor de Finanças da Brazilian Business Scholl (BBS), a redução das taxas do BB são uma consequência do movimento iniciado a partir das reduções aplicadas por Bradesco, HSBC, Santander e Nossa Caixa. O diretor de Crédito Imobiliário do Itaú, Luiz Antonio França, informou que desde o fim da semana passada, o banco aumentou o prazo de financiamento de 300 meses (25 anos) para 360 meses (30 anos). As taxas de juros, afirma, variam de acordo com o cliente, mas o site da instituição apresenta índices anuais entre 11,2% e 12%.

Na avaliação de Monteiro, a decisão foi correta e privilegiou critérios mais técnicos do que políticos. Além disso, acredita o professor, a expectativa é que ocorram novas reduções, principalmente a partir da próxima reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) para definir o rumo da taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 10,25% ao ano. ?Há espaço para nova redução?, afirma.

Celso Petrucci, economista-chefe e diretor do Sindicato da Habitação (Secovi), reitera que a ação do BB é consequência do que fizeram outras instituições e sinaliza que o mercado de crédito imobiliário pode entrar em um ?ciclo virtuoso?. ?As reduções anunciadas pelo BB ontem e por outros bancos na semana passada podem incentivar a concorrência e provocar novas quedas?, avalia Petrucci.

Ele acrescenta que, ao oferecer crédito imobiliário, os bancos estabelecem um relacionamento com o cliente que pode durar até 30 anos – prazo máximo de financiamento praticado atualmente pelo mercado – o que permite que a instituição ofereça outros produtos e serviços dos quais disponha. Segundo Paulo Rogério Caffarelli, diretor de Novos Negócios do BB, as mudanças têm como objetivo deixar as taxas cobradas pela instituição em um nível mais próximo da concorrência.

O BB iniciou as operações no mercado de crédito imobiliário este ano. De acordo com uma fonte do mercado que preferiu não ter seu nome divulgado, o espaço que a instituição ocupa é pequeno. Segundo informações apuradas pela reportagem, 90% das operações estão entre Caixa (45%), Bradesco (15%), Itaú-Unibanco (15%) e Santander (15%). O BB ocuparia uma fatia de mercado que é parte dos 10% restantes.

Apesar da pouca expressão atual, Caffarelli afirma que a meta do banco é estar entre os três maiores operadores do setor até 2012.

Na avaliação do diretor do BB, caso os sinais de retomada da economia se confirmem, novas baixas dos juros são uma tendência natural. ?É uma maneira de as instituições bancárias acirrarem a concorrência atraindo clientes por meio de melhores taxas?, diz. Ele acredita que o volume de crédito também aumente.

ACIMA DE R$ 500 MIL – O BB anunciou ainda mudanças no financiamento de imóveis com valores acima de R$ 500 mil, cuja fonte de crédito são os recursos livres da instituição e não dinheiro da poupança ou do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que compõem o Sistema Financeiro da Habitação (SFH).

Na modalidade pré-fixada, o juro anual caiu de 15,08% para 13%. Na pós-fixada, o BB reduziu a taxa de 12% para 11%.

8,4% ao ano é a taxa de juros mínima cobrada pelo BB em financiamento imobiliário

R$ 150 mil é o novo valor máximo de imóvel que pode ser financiado com a mudança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.