04/11/2008

Biombos e brises dividem e dão privacidade aos ambientes

Fonte: Globo online

Ambos oferecem uma série de modelos. Em geral, são de madeira, alumínio e fibra sintética

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisProjeto da Keep Engenharia, onde os ambientes foram divididos com uma brise

Rio de Janeiro – Criada pelo arquiteto franco-suíço Le Corbusier, a brise-soleil deixou de ser usada apenas para impedir a incidência direta do sol nas fachadas de edifícios e vem conquistado, cada vez mais, seu espaço dentro dos lares.

Arquitetos e decoradores vêm usando as brises para separar os ambientes em diferentes projetos. É uma espécie de veneziana que filtra a luminosidade e não barra a circulação do ar. Outro objeto de decoração com a função de dividir os ambientes são os já conhecidos biombos. Ambos oferecem uma série de modelos. Em geral, são de madeira, alumínio e fibra sintética. Não faltam os modelos espelhados. Os biombos são móveis. As brises são lâminas fixadas no teto e no piso. Podem ser usadas ou não.

Os arquitetos Luiz e Mariana Marinho desenharam uma “””” brise “””” feita em marcenaria para dividir as salas de jantar e de estar de um apartamento na Barra da Tijuca. Foram feitos três painéis com 1,40m que juntos formam uma estrutura linear com 4,20m, também para dividir o estar do jantar.

Zap o especialista em imóveisLuiz e Mariana Marinho desenharam brise com três painéis com 1,40m que juntos formam uma estrutura linear com 4,20m

“A brise oferece uma sensação de profundidade. Projetamos uma de 1,90m, deixando um área de um metro no teto para circulação do ar. Dá privacidade sem tirar a ventilação as valetas também podem abrir e fechar, isso varia de acordo com a proposta”, resume Mariana.

Cláudia Santos conta que acabou de concluir um projeto, onde usou biombo numa grande varanda de um apartamento para esconder e separar a área onde ficam os brinquedos dos dois filhos pequenos da proprietária do imóvel. A peça foi fundamental para reservar a área infantil da social da varanda decorada com poltronas e plantas.

“O biombo é um coringa. É versátil e oferece mobilidade. A “”””brise”””” é presa no teto e no piso. Tenho certa resistência em furar o piso, o teto e depois deixar a peça fixa, que pode cansar. Um biombo pode ficar bacana também num canto da sala, atrás de um sofá. Há modelos chiquérrimos que têm o status de peça de arte”, afirma Cláudia.

Zap o especialista em imóveisCláudia Santos usou biombo espelhado no Casa Cor 2008

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ela diz que além das “””” brises “””” e dos biombos, também é possível usar aparadores, mesas com vasos de flores em diferentes níveis para separar os ambientes.

A dupla Naná Poubel e Cláudio Brandão, que assinou a varanda de inverno da Casa Design 2008, criou uma “””” brise “””” com quatro lâminas que contam com portas de correr e frisas verticais espelhadas, que também podem ser usadas abertas. Brandão explica que usou a brise no lugar da cortina, que além de deixar o ambiente mais fresco ao barrar a entrada do sol deu charme ao ambiente. Já nos quartos, eles costuma optar pelo biombo, sendo um elemento para delimitar uma área sem a necessidade de grandes obras.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.