20/01/2008

Boas receitas para sua cozinha

Fonte: Jornal da Tarde

Público apaixonado por culinária ajudou a disseminar no País as cozinhas gourmets

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisCozinha do administrador de empresas José Emerson Amaral, projetada pelo arquiteto Renato Malki

Acanhadas e meramente funcionais até a década de 1990,
as cozinhas começaram a ter destaque nas casas assim que os brasileiros descobriram o prazer de cozinhar. A explosão da ‘onda gourmet’ não apurou apenas o paladar, mas deixou mais exigentes os novos freqüentadores das cozinhas domésticas.

Para poder preparar as refeições de forma confortável e receber as visitas ao mesmo tempo, os apaixonados por culinária passaram a investir no ambiente e em acessórios.

Por ter virado um ponto de encontro, a cozinha gourmet tem como uma das principais características a integração com a mesa de jantar. “A cozinha gourmet pode tanto ter um espaço bom para acomodar os convidados sentados, em uma mesa ou em volta da ilha, como pode ser integrada à copa ou sala de jantar, que é o que ocorre em espaços menores ou quando
a cozinha é totalmente aberta”, explica o arquiteto Renato
Malki.

A integração e o fato de os convidados acompanharem o preparo das refeições fizeram da coifa um eletrodoméstico fundamental. “Existia o preconceito de que uma cozinha aberta deixaria a casa toda com cheiro de comida. Mas uma coifa potente e bem instalada resolve esse problema”, explica o administrador de empresas José Emerson Amaral, que, há
três anos, optou por uma cozinha gourmet, toda aberta, quando construiu a sua casa em Santana de Parnaíba. “Para a cozinha gourmet funcionar bem, é preciso, além da coifa, que a casa tenha uma boa ventilação”, acrescenta o arquiteto Malki.

A ilha central é outra característica importante das cozinhas
gourmet. É na ilha que normalmente fica o fogão ou cooktop,
área para picar os alimentos, armários na parte de baixo e em alguns casos, a pia. “A ilha faz uma diferença grande. No meu caso, como cozinho à noite e nos fins de semana, fico no centro da cozinha e posso acompanhar todo o movimento da casa”, explica o gourmet e administrador José Emerson Amaral.

Apesar de terem conquistado até o público menos chegado à
culinária, as cozinhas gourmet não são indicadas para todos. “É
preciso prestar atenção ao perfil domorador. Se ele realmente gosta de cozinhar, vale à pena o investimento na cozinha gourmet. Se não gosta, é melhor investir em outras partes da casa. Como a sala, por exemplo, se ela for a parte mais usada da casa”, explica Renato Malki.

Isso porque as cozinhas gourmet são mais caras do que as tradicionais, tanto pelo mobiliário sofisticado, quanto pelos eletrodomésticos, como fornos e coifas potentes, geladeira modernas e até acessórios como facas.

Se o morador já tem o hábito de cozinhar e receber os amigos, é pouco provável que se arrependa dos gastos extras. “Paguei caro na cozinha mas é a parte que eu mais uso na casa. Investi na coifa e no cooktop e não me arrependo nem um pouco”, conclui Amaral.

Para ter um espaço de seus sonhos

–  Em lojas de móveis planejados, como DellAnnoe Florense, a cozinha é feita conforme o projeto do arquiteto, ou na própria loja. Os acessórios para gourmet estão disponíveis em todas as linhas.Informações: www.dellano.com.br
www.florense.com.br

– Eletrodomésticos gourmets já são fabricados no Brasil. A
Brastemp tem produtos inteligentes, a GE também investe na linha gourmet e a Electrolux tem uma exclusiva para o público. Informações: www.brastemp.com.br
 
www.ge.com.br 
www.electrolux.com.br

– Novidades estarão na 3ª Kitchen & Bath, feira de
produtos para cozinha e banheiro que acontece em março em
São Paulo. Informações: www.kitchenbathexpo.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.