30/10/2006

Bom Retiro investe para ser fashion

Fonte: O Estado de S. Paulo

Arquitetos de prestígio vão mudar visual de lojas do bairro, que terá evento de moda

Inspirados na requalificação urbana pela qual passa o Bom Retiro, na região central de São Paulo, algumas lojas já começam a contratar arquitetos renomados para cuidar de seu layout e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) está se movimentando para dar um upgrade na apresentação das roupas.

Parte desse processo será entre os dias 20 e 23, não por acaso a menos de uma semana da São Paulo Fashion Week: 20 confecções locais vão abrir a primeira edição do Bom Retiro Fashion Business, um desfile ao ar livre com as principais tendências da moda, com investimento de R$ 200 mil.

A expectativa é atrair 40 mil pessoas por dia nos 300 m2 da Rua Carmo Cintra – entre a José Paulino e a Aimorés -, onde será montada a passarela, um lounge com DJ e um bar, todos cobertos. “Essa estrutura moderna ajuda a atrair novos clientes”, afirma Kelly Cristina Lopes, da diretoria da CDL.

Em outubro, será a vez de outro evento de sucesso na mídia servir de inspiração para levar um pouco mais de glamour ao bairro. A Associação Projeto Bom Retiro destacou seis arquitetos que já participaram da Casa Cor para repaginar algumas lojas. “Será uma transformação cenográfica para mostrar que é possível mudar a cara do negócio com a rapidez da moda, sem gastar muito dinheiro”, diz Cleiton Honório de Paula, diretor-geral da ONG, sem revelar os nomes dos participantes.

Arquitetos de peso, como Isay Weinfeld, Brunete Fracarolli e Felipe Crescenti, já começaram a dar o ar de sua graça no antigo bairro operário que, desde os anos 20, encontrou sua vocação como pólo da moda atacadista. “Deixei de fazer um trabalho na Rua Oscar Freire para aceitar esse. Aqui tenho o desafio pessoal de trabalhar em algo que nunca fiz antes”, afirma Weinfeld, sem revelar o nome de seu cliente.

“Todos se esmeram para mudar a cara da região e trazer conforto e qualidade aos negócios”, afirma Brunete, que, no começo do ano, remodelou a loja La Foret, que se transferiu da Ribeiro de Lima para a Aimorés

A experiência de projetar lojas, fábricas e showrooms voltados para o público intermediário é nova para todos eles e por isso mesmo os convites têm sido mais do que bem recebidos.

Mais preocupado com os frutos que o resultado deste trabalho poderá trazer a toda Rua José Paulino do que com a publicidade inerente à parceria, o empresário coreano não se intimidou ao ver o nome do arquiteto desfilando até mesmo em revistas internacionais por causa do sucesso obtido com o projeto do hotel Fasano, assinado em conjunto com Marcio Kogan. “Apesar de eu não acreditar que um projeto meu possa ter qualquer impacto na região, o cliente acha que esse será um ponto de partida para que as demais lojas da rua se esforcem para elevar a qualidade do comércio local”, diz o arquiteto. A obra deverá ser entregue até o fim do ano.

Primeiro a encarar o desafio num imóvel da região, o arquiteto Felipe Crescenti transformou um galpão construído em 1946, na Rua do Bosque, na divisa com o bairro da Barra Funda, na fábrica e show room da grife Huis Clos, no ano passado. A proposta veio logo depois de Crescenti projetar uma loja da marca no shopping Iguatemi. “É bom ver que as pessoas estão querendo transferir a qualidade vista em lugares bacanas como os Jardins para bairros antes menosprezados”, afirma o arquiteto. Para ele o grande responsável por essa mudança de atitude é a difusão da informação que torna possível à todas as classes e ramos de atividade ter acesso ao belo e à soluções eficientes.

“Hoje as pessoas são mais exigentes e sabem reconhecer a importância de se investir em arquitetura. É a sofisticação e a competitividade do mercado que está levando esses profissionais para o Bom Retiro”, analisa Crescenti, que teve de incluir espaços de descanso e refeição dentro do imóvel para compensar a ainda fraca gama de opções desse tipo nos arredores. “Mais uma vez a iniciativa privada teve de se virar para suprir as carências deixadas pelo governo na cidade. E isso acontece dos Jardins à periferia.”

No começo de 2005 foi a vez da decoradora Brunete Fracarolli, que já participou de várias edições da Casa Cor, ser surpreendida com a proposta para remodelar a loja La Foret, que se mudava para a Rua Aimorés. O endereço é tido como modelo para o projeto de reestruturação urbanística do Bom Retiro proposto por uma ONG local, e por tanto é o primeiro a ter toda sua fiação aterrada. O próximo passo será o realinhamento das calçadas e a colocação de bancos. Até 2010 todo o bairro deverá se beneficiar com o projeto.

Ao que parece a vizinhança já reconheceu o benefício da mudança. Afinal, não é à toa que uma loja de vidros da região já correu ao escritório de Brunete para encomendar seu projeto. “Todos estão se esmerando para mudar a cara da região e trazer conforto e qualidade para seus negócios”, afirma a arquiteta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.