23/04/2013

Brasil só perde para três países em lista de prédios verdes

Fonte: ZAP Imóveis

Segundo o último ranking promovido pela Green Building Council Brasil, país conta com 2.089.195,20 m² certificados, atrás apenas dos EUA, China e Emirados Árabes

Ao mesmo tempo em que os imóveis construídos no Brasil estão cada vez menores, os novos empreendimentos também têm ganhado aspectos mais modernos, como a sustentabilidade.

Segundo o último ranking promovido pela Green Building Council Brasil, entidade responsável por difundir o selo Leed (sigla em inglês para Liderança em Energia e Design Ambiental) no país, obtido com antecedência pelo ZAP Imóveis, o mercado de prédios verdes no Brasil continuou como o quarto maior do mundo no primeiro trimestre do ano. Em 2012, o país estava na mesma posição.

Desde o início do ano, cinco empreendimentos brasileiros receberam o selo Leed e 15 edifícios entraram com pedido de certificação (Fotos: Banco de Imagens / Think Stock)

Com 682 construções com esta certificação de sustentabilidade, o país ficou em 4º lugar na nova pesquisa, com 2.089.195,20 m² certificados, atrás apenas dos Estados Unidos, China e Emirados Árabes Unidos.

Desde o início do ano, cinco empreendimentos brasileiros receberam o selo Leed e 15 edifícios entraram com pedido de certificação, números que levaram o Brasil à marca de 88 empreendimentos certificados e 682 pleiteando a aprovação.

“A região Sudeste é a mais avançada hoje [no Brasil], mas temos visto o Nordeste despontar no número de edificações que buscam os diferenciais da certificação Leed, com destaque para Pernambuco e Ceará”, apontou Marcos Casado, diretor técnico e educacional do GBC Brasil.

Em 2011, eram 577.617 m² registrados buscando o selo naquela região. No ano passado, este número saltou para 4.006.556 m².

“Só o MBA em construção sustentável tem oito turmas em cinco capitais do Nordeste, o que mostra o interesse pela capacitação”, complementou.

A expectativa da entidade é que, até o final de 2013, sejam 900 empreendimentos registrados e 120 certificados em todo o território nacional.

Ainda segundo o estudo, os Estados Unidos, líderes do ranking, contam com 44.702 prédios registrados e 15.130 certificados, a segunda colocada China tem 1.219 e 338, enquanto os Emirados Árabes, 811 e 70, respectivamente.

Para receber o selo, o empreendimento deve atender critérios dentro de sete categorias: eficiência energética; uso racional de água; materiais e recursos; qualidade ambiental interna; espaço sustentável; inovações e tecnologias e créditos regionais.

Com 682 construções com a certificação de sustentabilidade, o país ficou em 4º lugar na nova pesquisa, com 2.089.195,20 m² certificados

Confira o ranking mundial baseado no número de empreendimentos registrados (certificados + em processo de certificação) pelo selo Leed:

1º EUA
2º China
3º Emirados Árabes Unidos
4º Brasil
5º Índia
6º Canadá
7º México
8º Alemanha
9º Coreia do Sul
10º Qatar

6 Comentários

  1. Parabéns Brasil, no caminho da sustentabilidade. Não é pouca coisa já que tudo é muito recente no nosso BR. Temos de convencer os governos a investir em adequar suas leis de zoneamento e parâmetros construtivos e outras que dizem respeito diretamente ao meio ambiente.

  2. que bom que alguns empresários , estáo alertas ,sinal que , apesar de muitos políticos corruptos , neste país , tem GENTE , preocupado com o nosso rumo….

  3. Uma boa colocação mais é necessário o mundo se colocar nesse sentido e os governantes priorizarem atitudes ecológicas reais e não esse caminho falso das lixeiras coloridas e lampadas fluorescentes velhas serem descartadas por todos os lugares.O Brasil precisa agir sobre politicas que funcionem com respeito ao meio ambiente…e outras “coisitas” mais.

  4. aqui no ceará realmente são prédios no projeto verde, com o parque do coco, pois estão somente fazendo prédios arredores do parque, porque ele é verde quem sabe amanhã bem próximo o parque vira praça da alegria dos empreendendores e por ceará apenas selva de pedra.

  5. É uma boa posição, mas temos que evoluir mais na sustentabilidade, tanto nas construções ecológicas, como em cidades sustentáveis(energia eólica, solar, biodigestores para o lixo orgânico,ampliar a reciclagem,parques ecológicos,priorizar o pedestre e o transporte coletivos com veículos elétricos e a hidrogênio nos centros urbanos, etc.etc.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.