12/08/2010

Brasileiro paga mais pela casa própria

Fonte: Jornal da Tarde
(Foto: Divulgação)
Valor médio dos bens financiados passou de R$ 177.679 para R$ 205.258 (Foto: Divulgação)

O brasileiro está comprando imóveis mais caros. Em apenas um ano, o valor médio das unidades financiadas com recursos da poupança passou de R$ 177.679 para R$ 205.258, uma alta de 15,5%, informa a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

Os dados da Abecip refletem, em parte, a valorização imobiliária ocorrida nos últimos tempos. Levantamento realizado pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP) e divulgado em maio pelo JT já mostrava que em São Paulo, por exemplo, o preço dos imóveis havia subido 27% em dois anos.

“Mas a questão é que a renda do consumidor também aumentou e por isso ele está conseguindo assimilar essa alta de preços dos imóveis”, ressalta Luiz Antonio França, presidente da Abecip. “Só dessa maneira as vendas continuam crescendo.”

No primeiro semestre de 2010, o número de imóveis financiados pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) subiu 51,4% em relação ao resultado do mesmo período do ano passado. O aumento das vendas fez o financiamento imobiliário registrar mais um recorde: foram emprestados R$ 23 bilhões em seis meses.

A estimativa da Abecip é que, no segundo semestre, mais 262 mil unidades sejam vendidas – o que significa fechar 2010 com 450 mil imóveis e R$ 57 bilhões em financiamentos com recursos da poupança. “Com boas condições de crédito e crescimento da renda do trabalhador, a demanda por imóveis vai continuar em alta”, afirma França.

E os preços também. A consultoria MB Associados, contratada pela Abecip para analisar o mercado imobiliário brasileiro, afirma que a demanda por imóveis deve ser de cerca de 1,3 milhão de unidades ao ano até 2015. A empresa também estima que a renda do brasileiro cresça, em média, 8% ao ano nesse período.

(Fonte: Abecip) (Imagem: Infográfico/AE)
(Fonte: Abecip) (Imagem: Infográfico/AE)

“A demanda crescente por imóveis e o aumento do poder de compra do trabalhador vão sustentar o avanço do mercado pelos próximos anos”, decreta José Roberto Mendonça de Barros, da MB Associados. “Por isso, um cenário futuro em que o preço dos imóveis caia é muito pouco provável.”

Essa situação só ocorreria se a valorização imobiliária se tratasse de uma bolha – o que não é o caso. “Realizamos um estudo e pudemos concluir que não há bolha, porque não há desregulamentação do mercado e nem desequilíbrio econômico, o que caracterizaria o fenômeno”, explica Mendonça. “Ao contrário: o crescimento dos preços e das vendas é sustentável.”

LEIA MAIS:

Casa própria: taxa inicial varia até 27% 

 Construtora vai ao supermercado vender imóvel

4 imóveis são vendidos por hora em SP

26 Comentários

  1. Casa mais cara? voces ja ouviram falar da AFTB? associação frutos da terra Brasil? Estava com uma ótima proposta de moradia barata, e a processaram, prejudicando milhares de associados, não vejo a imprensa comentando isso. mesmo porque a burocracia pra se comprar um imóvel financiado pela cx. é muito grande, dificilimo o financiamento para o brasileiro comum.por favor vejam o que estar acontecendo com a AFTB?perdi dinheiro e milhares de brasileiros tambem perderam, em busca da tão sonhada casa própria.

  2. Bom eu vejo que meu ap. no valo velho não valorizou por que eu recebo dos corretos propostas muitas baixas estou pedindo mun ap. cem mil mas o aparece é 89mil ou 90mil isso é um abesurdo por que eu paguei até agora 82mil e para a construtora tenda e ao meu ver não valorizou nada eu preciso fazer uma pesquiza nas contrutoras para ver os valores deles para poder questina-los?

  3. Muitos temem que aconteça uma “bolha imobiliaria” como aconteceu nos EUA. No entanto, nosso sistema financeiro e habitacional tem mecanismos de proteção totalmente diferente.

  4. Não será mesmo uma bolha?Que estudo é esse ao que o Senhor Mendonça se refere?Que instituição o realizou?Onde os consumidores podem acessá-lo?Vamos aguardar……….e…..”guardar” bem essa matéria, com o nome das pessoas que passaram as informações, para cobrar uma solução quando a “bolha” explodir.Mas, talvez essas pessoas estejam bem longe daqui……não é mesmo?

  5. Isso é um absurdo! Por 250000,00 é possível comprar um apartamento em Pinheiros. Sanguessugas desgraçados!

  6. O preço aumenta e o m2 das casas ou “apertamentos” diminui, ou seja, pagamos mais porem temos cada vez menos conforto!

  7. O preço aumenta e o m2 das casas ou “apertamentos” diminui, ou seja pagamos mais porem temos cada vez menos conforto!

  8. Este o o Minha casa minha vida ! do partido comunista PT. Como o povo é massa de manobra, somos muito burros.

  9. Poderia aumentar também o salário dos profissionais que trabalham no setor imobiliario para que tivessem condições de comprar o imóvel num local mais acessível……..

  10. Não é só o aumento de renda não. É a queda dos juros, que na área habitacional foi significativa. Juros menores e prazos maiores permitem alguém com a mesma renda comprar apartamentos mais caros. Se ainda por cima, esse processo se dá em um momento de crescimento de renda, os precos vão subir mais ainda. Natural. Isso é normal e é um sinal de que as coisas estão melhorando no nosso país. Mas deve ser combatido e a forma de reduzir os precos é aumentando a oferta. O Brasil está construindo muito mais que antes, mas precisa construir ainda mais. Muito mais. E quem sabe em alguns anos (ou décadas) a coisa se estabiliza.

  11. Eu sou Angolano Armando Salavador dos santos o comentário que deixo é que melhorem cada vez mais a arquitectura, para melhor prestação de serviço a todos os interessados tendo em conta o desenvolvimento do Mundo actual numa globalização eficiente. Outrossim também gostaria junto a uma aquitecta me enviar uma Planta de uma residencia unifamiliar de preferência com o apoio de yahoo dentro da amizade.

  12. Quem dita a regra é a lei da oferta x procura: enquanto houver oferta de crédito aquecida e demanda também aquecida em função do aumento do emprego/renda, a tendência dos preços dos imóveis será sempre de alta. Para os economistas, é um mecanismo de deslocamento “para a direita” tanto da curva de demanda como da curva de oferta.

  13. Tenho uma ótima casa com terreno de frente para Ilhabela, em São Sebastião/SP. Praia Deserta -Terreno 1832 m2 área de construção: 137,9 m2 valor por metro2(terreno) R$ 412,50 + valor R$ 600,00(construção) Valor do imóvel= r$ 838.440,00 (oitocentos e trinta e oito mil, quatrocentos e quarenta reais)

  14. rararara eu não tenho nenhum comentario para está forca mais que pesso nas minhas costas emmmmmm…………aaaaaaaaaaaammmmmmmmmmmmmooooooooooooorrrrrrrrrrrreeeeeeeeeee……….

  15. O preços dos prédios residenciais estão em elevação face a dificuldade de encontrar novos terrenos nas áreas urbanas, o que os encarece. Todavia, percebe-se que existe uma exploração por parte das construtoras e organismos financiadores que querem ter elevados percentuais de lucros nas transações imobiliárias. Tal fato é percebido, tendo em vista que os tamanho dos apartamentos estão cada vez menores, e, que, a área do terreno é multiplicada várias vezes pois crescem verticalmente. Tal artifício tecnológico, proporciona a consturão de inúmeros apartamentos diminuindo o custo do terreno, o que deveria reduzir o custo dos apartamentos/imóveis para preços mais compatívies com a renda do brasileiro.

  16. O CAPITALISMO CHEGOU,INFLACIONOU O MERCADO IMOBILIÁRIO AS CUSTAS DE PROJETOS BILIONÁRIOS E É ISSO AI.VAMOS PAGAR MAIS CARO.CUIDADO COM A BOLHA ELA VAI ESTOURAR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.