25/08/2010

Noroeste será o primeiro bairro ecológico brasileiro

Fonte: Revista ZAP Imóveis

Oferecimento: via

Na década de 1960, o Brasil revolucionou a arquitetura urbana mundial com a construção de Brasília. Após meio século de vida, a capital federal traça novos paradigmas ao urbanismo construindo um setor habitacional engajado na defesa do meio ambiente: o Noroeste, primeiro bairro ecológico brasileiro.

(Foto: Divulgação)
Local será abastecido com energia solar e gás natural e as águas das chuvas armazenadas em tanques (Foto: Divulgação)

Localização – O novo bairro de Brasília foi projetado para ser um verdadeiro paraíso natural no coração de um centro urbano. Ele fica localizado no final da Asa Norte da cidade, sendo delimitado pelo Parque da Água Mineral, pela Avenida W4 Norte e pelo Setor Militar Urbano.

Infraestrutura – Segundo a Terracap, responsável  pelas projeções do Setor Noroeste, os seis pavimentos residenciais serão abastecidos com energia solar e gás natural e as águas das chuvas serão captadas por uma rede pluvial e levadas até os grandes tanques, onde ficarão armazenadas formando os lagos artificiais do Parque Burle Marx.

Outra inovação será as redes de canalização, que captam o lixo dos prédios por meio de um sistema de pressurização e o leva até galerias de armazenamento, de onde segue para reciclagem e tratamento.

Além disso, haverá o máximo de aproveitamento de luz natural nos edifícios e a utilização de ventilação natural. As ruas serão largas, seguras e haverá transporte público em todas as vias do novo setor, amplos estacionamentos, ciclovias, pistas de cooper e muitos jardins. Toda a infraestrutura será implantada simultaneamente à construção dos prédios.

Já os dois pavimentos comerciais serão térreos com lojas e garagem no subsolo. Diferente do Sudoeste, no Setor Noroeste todos os prédios comerciais deverão ter vagas de garagem no subsolo, não haverá lojas no subsolo, as lojas terão pé direito de 5,5 metros e todas ficarão visíveis – não haverá lojas de fundos (outro diferencial).

Mercado – Em 2009, a companhia estimava que o metro quadrado da área útil fosse vendido pelas construtoras e incorporadoras entre R$ 6 mil e R$ 7 mil, no entanto, o valor do m² dos imóveis residenciais já valorizou e está custando cerca de R$ 10 mil e dos empreendimentos comerciais vale R$ 16 mil.

“A velocidade de vendas e lançamentos estão a todo vapor. Brasília é um ótimo negócio para investidores. Um dos editais de licitação do Setor Noroeste, por exemplo, tenho a informação que chegou a ser vendido em dois dias”, diz diretor de comercialização da Terracap, Antônio Guimarães.

De acordo com o Creci-DF, o mercado imobiliário do Distrito Federal ultrapassou o do Rio de Janeiro e, em 2009, se consolidou como o segundo do País em faturamento e em número de unidades vendidas. Os lançamentos movimentaram R$ 11,7 milhões por dia, um total de R$ 4,3 bilhões no ano. Aproximadamente 14 mil unidades ganharam o mercado brasiliense.

LEIA MAIS:

Grandes áreas arborizadas: pulmões verdes dentro dos novos empreendimentos cariocas

Casa eficiente gasta 70% menos energia

Construtoras criam departamentos para tratar do tema sustentabilidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.