31/08/2007

Cai oferta de locação…

Fonte: Jornal da Tarde

Época do ano desfavorece quem procura imóveis para alugar na Capital Paulista

Alex Silva/AEZap o especialista em imóveisPresidente do Cresci-SP, José Viana Neto: ‘Estamos em uma entressafra’

Os primeiros meses do ano foram desfavoráveis para quem buscava imóveis para alugar na Capital. Isso porque, nesta época, um número maior de pessoas negocia contratos de locação, e a oferta de alguns tipos de imóveis – como apartamentos de dois dormitórios nas regiões próximas às estações de Metrô – ficam escassas. Mas a situação se reverteu nos últimos meses.

Pelo quarto mês seguido, o mercado de locação de imóveis teve desempenho negativo na cidade de São Paulo. O número de contratos firmados em julho foi 1,56% inferior ao de junho, segundo pesquisa feita pelo Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CRECI-SP) com 440 imobiliárias. O índice de locação da Capital recuou de 2,1101 para 2,0773 no período.

As imobiliárias consultadas alugaram 914 imóveis, sendo 52,41% casas e 47,59% apartamentos. A maioria dos imóveis alugados – 53,92% – estava na faixa de cerca de R$ 600.

“”Tivemos resultados positivos nos três primeiros meses do ano, com fevereiro registrando o excepcional crescimento de 4,79% e, depois, derivamos para um perfil de desempenho negativo do mercado, numa espécie de entressafra prolongada””, afirmou o presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto.

Ele explicou ainda que os bons resultados do primeiro trimestre se devem a fatores como a natural acomodação de muitas famílias e pessoas solteiras às novas condições de vida que passam a enfrentar no início de ano.

“”A troca de escola dos filhos leva à mudança de bairro, universitários aprovados em vestibulares passam a vir morar na Capital, filhos maiores aproveitam as férias de verão para alugar seu próprio imóvel, e famílias insatisfeitas com o lugar onde moram aproveitam o período em que estão de folga para trocar de casa””, explicou Viana. “”Depois desse movimento que agita todo o mercado, os negócios tendem a ser mornos””, concluiu.

O valor das locações

Em julho, o aluguel que mais aumentou – 6,3% – foi o de casas de quatro dormitórios situadas em bairros como Lapa, Mooca e Saúde. O aluguel médio passou de R$ 1.481,63 para R$ 1.575 no período. Já a locação que mais baixou foi a de apartamentos de um dormitório localizados em bairros como Itaquera, Jardim Ângela e Itaim Paulista. O valor médio desse tipo de imóvel estava em R$ 297,06 em junho e passou para R$ 293,14 em julho.

Não é o momento favorável para concessão de crédito imobiliário que diminui a procura por locações. De acordo com a pesquisa, as vendas de imóveis usados na Capital também sofreram queda. O índice, que estava em 0,4944 em junho caiu para 0,4841.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.