29/04/2009

Caixa amplia financiamento para reformar e construir

Fonte: O Estado de S. Paulo

A partir de hoje, linha de crédito poderá ser solicitada nas agências do banco por quem possuir renda familiar de até R$ 4,9 mil. Os juros são os menores do mercado para este tipo de operação e o volume máximo passou para R$ 80 mil

A partir de hoje, quem vai reformar a casa ou comprar materiais de construção terá novas condições de financiamento na Caixa Econômica Federal. As linhas que utilizam recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), as mais baratas do mercado, terão limites de crédito maiores e estarão disponíveis também para a classe média.

Foto: DivulgaçãoZap o especialista em imóveisBancos oferecem linhas de crédito a partir de hoje

Reformas e melhorias em imóveis com custo de até R$ 80 mil passarão a ser financiados pela Caixa – antes, o valor máximo era de R$ 70 mil. O limite da renda mensal familiar, para ter acesso à linha, também foi ampliado: de R$ 3 mil para R$ 4,9 mil.

Na compra de materiais de construção, a Caixa vai manter o teto de financiamento em R$ 70 mil. O limite da renda familiar para utilização da linha, no entanto, saltou de R$ 1,9 mil para R$ 4,9 mil. De acordo com o banco, essa ampliação da faixa de renda vai atrair mais famílias, inclusive da classe média (confira abaixo).

As linhas que utilizam recursos do FGTS oferecem taxas de juros mais baixas. Atualmente, quem financia reformas paga de 5% a 8,16% ao ano (dependendo da garantia), mais a taxa referencial (TR). Na compra de materiais de construção, a taxa é de 5% ao ano, mais a TR. “Cinco por cento ao ano é uma taxa baixa para os padrões do Brasil e também de outros países”, afirma o economista Marcos Silvestre, da Mercatus Escola de Negócios. “Nos Estados Unidos, para você ter acesso a uma linha dessas é preciso ter um histórico de crédito impecável.”

Apesar da facilidade, é preciso avaliar a necessidade do financiamento. Silvestre defende que linhas assim sejam utilizadas em situações de emergência. “É o caso de um vazamento no telhado. A pessoa pode fazer o financiamento para resolver o problema e evitar prejuízos maiores”, cita.

Proprietários que vão colocar a casa à venda também podem utilizar a linha de crédito para aumentar o valor do imóvel. “Uma reforma vai embelezar o imóvel. Isso pode acelerar a velocidade de venda e, eventualmente, até aumentar o preço”, diz o economista.

Se a intenção for reformar a casa ou fazer ampliações para uso da família, Silvestre recomenda cautela. “Lembre-se de que essas linhas também devem estar disponíveis no segundo semestre e no ano que vem. Não é preciso ter pressa”, afirma o economista. “Com a crise econômica, há um problema de desemprego e pode não ser a hora de fazer financiamentos.”

O economista Miguel de Oliveira, vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), confirma que as linhas possuem taxas de juros mais baixas. Mas ressalta que é preciso comparar as opções disponíveis no mercado. “Algumas redes de materiais de construção vendem em até 12 vezes sem juros no cartão de crédito. Pode ser mais vantajoso comprar dessa forma.”

Cooperativas e associações também terão o acesso ao crédito a partir de hoje. O valor máximo financiado para compra de lotes saltou de R$ 25 mil para R$ 28 mil. E o limite de renda para acesso ao crédito subiu para R$ 2,79 mil.

CONFIRA – Os novos limites tornam o crédito acessível também a uma parcela da classe média, com renda de até R$ 4,9 mil.

Antes de fazer o financiamento, avalie se ele é realmente necessário.

As taxas de juros são baixas, mas é importante não comprometer demais a renda, principalmente em um período de crise, quando desemprego voltou a ameaçar.

O crédito é indicado nos casos de reformas de emergência. Se sua casa vai ser vendida e precisa de reparos, o financiamento também pode servir para valorizar o imóvel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.