30/10/2006

Caixa facilita cadastro imobiliário

Fonte: O Estado de S. Paulo

Caixa Econômica Federal torna menos burocrático o processo de análise de concessão de crédito e melhora processo de informação

Filipe Araújo/AEZap o especialista em imóveisMovimento – Mudanças na forma de atendimento fizeram com que muitas pessoas procurassem as agências da Caixa na capital paulista

A Caixa Econômica Federal simplificou as entrevistas para concessão do crédito imobiliário. Isto significa que a pessoa interessada em conseguir um financiamento pode saber na hora se tem o perfil adequado para o benefício.

Não é preciso mais preencher fichas e esperar dias para saber o resultado, que se for negativo será avisado ao candidato a mutuário. Ciente do problema, o consumidor poderá corrigir as falhas.

Foi esta mudança que levou o motorista Edilson Oliveira Santana, de 42 anos, a procurar o Balcão da Habitação, na agência Sé da Caixa. “Agora está mais fácil para tentar o financiamento. Preciso apresentar somente os três últimos holerites, antes eram seis”, afirmou.

Santana conta que tentou fazer um financiamento há dois anos, juntou uma “pilha” de documentos, mas o pedido foi rejeitado. “A Caixa não me disse o porque da recusa, mas agora acredito que possa dar certo.” Se o pedido for rejeitado o cliente pode readequar sua proposta e acrescentar valores de poupança própria, mudar prazos, prestações e outros detalhes do financiamento para que ele seja viável.

Segundo o superintendente institucional da Caixa em São Paulo, Augusto Bandeiras Vargas, as mudanças simplificam o atendimento e informações para o crédito imobiliário. “O novo processo é mais racional e mais rápido”, disse.

“O cliente vai à Caixa, faz a entrevista e se é aprovado tem seis meses para contratar o financiamento.” Vargas explica que o pedido de dados foi restringido somente ao essencial como despesas de aluguel, condomínio, pensão alimentícia. Não são mais necessárias informações como carnês de prestações.

“Utilizamos a pesquisa de orçamento familiar do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)”, afirmou Vargas referindo-se ao perfil socioeconômico do futuro mutuário.

Condição

Outra mudança é com relação a quem tem o nome sujo na praça, no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) ou Serasa. Antes, este consumidor não poderia nem se cadastrar para o financiamento. Agora quem tem problemas de restrição cadastral pode receber a aprovação, mas de forma condicional. Isto significa que o crédito pode ser pré-aprovado, mas o dinheiro só é liberado quando o cliente comprovar que resolveu as pendências.

A arrumadeira Ana Lucia da Silva, de 33 anos, foi ao Balcão da Habitação para saber se tem chances de conseguir financiar uma casa. “Conversei com o atendente que me disse que preciso estar com o nome livre do SPC”, afirmou.

“Ele me orientou para que eu tente juntar o meu FGTS e o do meu marido e financiar uma parte da casa.”

Serviço – Balcão da Habitação, agência Praça da Sé, n.º 111; www.caixa.gov.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.