22/03/2007

Caixa financia 2,2 mil imóveis populares

Fonte: Jornal da Tarde

A partir de maio, começam a ser vendidas as unidades erguidas pela Klabin Segall, que estarão concentradas em São Mateus, Jardim São Luis e Santo André (ABCD)

A incorporadora Klabin Segall e a Caixa Econômica Federal (CEF) fecharam parceria ontem para a construção de imóveis populares. Serão 2,2 mil unidades habitacionais, entre casas e apartamentos, previstas para o ano de 2007. O primeiro empreendimento – lançamento previsto para maio – será no bairro de São Mateus (Zona Leste). Os outros dois, programados para o segundo semestre deste ano, serão construídos no Jardim São Luís (Zona Sul) e na cidade de Santo André (Região do ABCD).

O cliente que adquirir uma das unidades vai poder financiar 100% do valor do imóvel para pagar em até 20 anos e as prestações terão um valor bem acessível: entre R$ 250 e R$ 400. Os imóveis, de um ou dois dormitórios, terão entre 45m² e 55 m² e vão custar entre R$ 50 mil e R$ 100 mil. São destinados a famílias que têm renda mensal entre cinco e dez salários mínimos (de R$ 1.750 a R$ 3.500 mensais). Os juros do financiamento ficam entre 6% e 10,16% ao ano mais TR e o cliente pode usar os recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Nessa faixa de preço, o consumidor tem ainda a possibilidade de enquadrar-se entre as linhas de financiamento subsidiadas da Caixa e ter o porcentual de juros reduzido. Por exemplo, para imóveis de até R$ 80 mil, os juros são de 6% ao ano.

Bom custo/benefício

A vantagem para o consumidor é poder adquirir um imóvel com a grife Klabin Segall (conhecida pela incorporação de imóveis de alto padrão), mas com preço e condições especiais de pagamento. Além disso, o financiamento da Caixa pode ser contratado no momento do lançamento do empreendimento e durante a sua construção, ou seja, não é necessário esperar a entrega das chaves para obter o financiamento do imóvel.

“O limitador do tempo de construção agora vai ser somente em relação à obra, não do bolso do cliente. Ou seja, a incorporadora não precisa esperar levantar fundos para construir porque a Caixa financia a construção, e o cliente tem a garantia de que o imóvel será entregue”, revela o diretor executivo da Klabin Segall, Oscar Segall.

Essa parceria deve abrir precedentes para a Caixa firmar novas parcerias com construtoras e incorporadoras e, dessa forma, ampliar ainda mais a oferta de imóveis para a classe média e média baixa. Só no primeiro bimestre desse ano a Caixa emprestou R$ 602 milhões para a habitação – 77% a mais que o mesmo período do ano passado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.