13/10/2008

Casa para quem dá segurança

Fonte: Jornal EXTRA

Policiais, bombeiros e agentes penitenciários poderão fazer financiamentos com parcelas de R$222,30

O sonho da casa própria está mais próximo para policiais militares e civis, bombeiros e agentes penitenciários inscritos no Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci). Na próxima quinta-feira, às 15h, o ministro da Justiça, Tarso Genro, vai assinar, junto com o governador Sérgio Cabral, um termo de cooperação técnica com a Caixa Econômica Federal.

“O projeto está na fase de seleção. Vamos fazer a entrega simbólica de sete casas para policiais que já estavam inscritos e abrir cadastros, para depois selecionar novos participantes. Os policiais que vão receber as casas devem, preferencialmente, estar no programa de proximidade e ter inscrição no Bolsa Formação”, disse Tarso Genro.

Após negociar com a Caixa Econômica Federal, o ministro da Justiça conseguiu destinar aos profissionais de segurança pública mil unidades residenciais. Todas fazem parte de conjuntos habitacionais que estão sendo construídos pelo Programa de Arrendamento Residencial (PAR). As primeiras unidades disponíveis ficarão em Campo Grande, Santa Cruz e Cosmos.

Os apartamentos terão área útil mínima de 37 metros quadrados, dois quartos, sala, cozinha e banheiro. Segundo cálculos do Ministério da Justiça, as parcelas deverão ficar em R$222,30 e serão descontadas diretamente no contracheque. Os apartamentos serão arrendados e, após 15 anos, passarão para os nomes dos servidores. O financiamento será de 100%, sem necessidade de entrada.

“Os policiais poderão usar o dinheiro que recebem do Pronasci (R$400) para pagar as parcelas”, afirmou Tarso Genro.

Para os servidores com um salário maior (até R$4.900), serão oferecidas cartas de crédito com financiamentos de até R$50 mil.

PMS já fazem planos
Enquanto não começam as inscrições, muitos policiais militares já sonham com a casa própria. A soldado Lívia de Lima Pinheiro, lotada no Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur), quer ter uma para, em seguida, poder realizar um outro sonho: casar.

“Com a casa própria, meu noivo não vai ter mais desculpas para adiar o casamento”, disse a soldado, em tom de brincadeira.

Fluente em duas línguas (inglês e espanhol) e terminando a faculdade de psicologia, Lívia já participou de dois cursos online do Pronasci. Com pouco tempo livre, ela costuma estudar em casa durante a noite ou no horário do almoço.

“Além do enriquecimento profissional, agora temos a chance de conseguir uma casa própria”, comemora Lívia, que mora em Duque de Caxias.

O cabo Jorge Márcio Gomes, que é lotado no Hospital da Polícia Militar, em Niterói, sonha com a casa própria para ter tranquilidade.

“Minha filha Natália sonha morar em um condomínio, algo que nunca consegui. Ela poderia andar de bicicleta na área interna, o que me deixaria mais tranqüilo no trabalho”, disse o policial, que mora com Natalia, os pais e a mulher em Bangu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.