18/04/2007

Casa própria a taxas fixas

Fonte: Jornal da Tarde

Veja os juros cobrados pelos bancos nesse tipo de linha, em que as prestações são as mesmas do início ao fim

O mercado de financiamento imobiliário continua crescendo no Brasil por conta cenário econômico favorável. Em março, os contratos fechados com recursos da poupança registraram um aumento de 96%, na comparação com o mesmo período do ano passado. Um dos motivos apontados por especialistas é o aumento da oferta de dinheiro e as linhas de crédito com com prestações fixas oferecidas pelos bancos. Hoje, é possível fechar um contrato de até 20 anos, por exemplo, sabendo que a taxa de juros será 14% ao ano até o fim do prazo, no Santander Banespa.

A principal vantagem dos juros prefixados é, segundo o vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), Miguel de Oliveira, a facilidade de se conhecer previamente o valor das parcelas mensais e o quanto será gasto durante todo o financiamento.

Porém, há uma ressalva importante que deve ser levada em conta antes da assinatura do contrato: caso os juros bancários permaneçam em queda, o consumidor não poderá alterar a taxa e terá de continuar pagando o porcentual acertado com o banco.

De qualquer forma, esse tipo de financiamento traz uma segurança aos mutuários, que podem se planejar melhor para quitar as parcelas mensalmente. Por conta disso,as linhas prefixadas estão ganhando força desde o fim do ano, e continuarão crescendo.

Dos bancos pesquisados pela reportagem, a Caixa Econômica Federal é a que possui as menores taxas de juros: 12,19% ao ano, no caso da aquisição de imóveis de até R$ 130 mil e no pagamento com carnê. Se a casa própria custar mais do que isso, o índice sobe para 13,34%. As pessoas podem quitar o débito em até 15 anos.

A Nossa Caixa também possui um produto com juros bastante semelhantes, mas com um prazo mais longo para acertar a dívida com o banco: 10 anos, para quem quiser pagar taxas de 12,5%, 15 anos, com juros de 13,5%, e 20 anos, com o porcentual aumentado para 14,03%.

Para Oliveira, os consumidores devem fazer os cálculos antes de assinar o contrato e verificar onde há mais vantagens.

Associação Brasileira de Moradores e Mutuários (ABMM) tem orientado as pessoas a esperar mais uns meses até que esses produtos realmente se consolidem no mercado para, só depois, fazer a opção. “Com as parcelas fixadas previamente é mais fácil calcular se as prestações realmente vão caber no orçamento. Mas, ainda assim, é bom ter cautela e esperar um período para verificar se o mercado continuará se comportando de forma favorável”, avalia o diretor da entidade, Paulo Zancaneli.

Bancos privados

A Caixa foi o terceiro banco a colocar as linhas com juros prefixados no mercado. Antes, o Bradesco e o Santander Banespa já haviam criado produtos semelhantes. Depois disso, outras instituições financeiras investiram no desenvolvimento desse tipo de crédito.

A Anefac acredita que, com o acirramento da concorrência entre as empresas do setor, os índices deverão sofrer novos cortes até o fim do ano.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.