14/02/2007

Casa vazia é convite para ladrões

Fonte: Jornal da Tarde

Especialista em segurança fez uma lista com dez providências que podem ser adotadas para deixar a residência menos vulnerável durante o Carnaval

AEZap o especialista em imóveis

Para evitar que a falta de segurança estrague sua viagem no Carnaval, o Jornal da Tarde conversou com especialistas no assunto e reuniu as principais dicas para dificultar a ação dos ladrões. É preciso tomar cuidado não só com a moradia que a família deixa fechada, mas também com a que vai ocupar no Litoral ou no Interior.

O especialista em segurança Jorge Lordello fez uma lista com dez providências que podem deixar sua casa menos visada pelos ladrões. “Quem protege a casa viaja mais tranqüilo.”

Providências de baixo custo podem ser tomadas, como instalar alarmes nas portas e janelas (preços entre R$ 7,50 e R$ 12 cada), sensores de presença (R$ 22) e alarmes (de R$ 150 a R$ 230). São itens de fácil instalação, geralmente fixados com fita dupla face à venda em lojas de material de construção.

Já num outro patamar mais alto de custo é a instalação de cercas elétricas nos muros. Isso envolve o trabalho de profissionais especializados e custa em geral R$ 30 o metro quadrado, mais o material.

Nas casas de praia e de campo os cuidados com a segurança também devem ser intensificados na época dos feriados. Segundo o delegado titular do Guarujá, Rubens Eduardo Barazal, a melhor alternativa é fazer amizade com vizinhos para que eles possam olhar a casa enquanto a família passeia. “É bom trocar telefones”, orienta o delegado.

Ao sair à noite, deixe um dos cômodos com as luzes acesas e jamais permaneça com as janelas abertas expondo móveis e eletrodomésticos. Dinheiro e jóias não devem ser guardados na casa de férias. “Só se leva para a viagem o essencial. Não se deve usar jóias.” Ele explica que de madrugada é preciso ficar atento ao entrar na casa. “Acenda os faróis para melhorar a visibilidade e dê uma volta no quarteirão.”

Os problemas do administrador de empresas Felipe Torres só terminaram depois que ele colocou cerca eletrificada em seu imóvel na Praia da Enseada, Guarujá. A casa já foi furtada três vezes e chegou a ser esvaziada. Nem a comida que estava na geladeira foi poupada. Numa das vezes, os vizinhos perceberam movimentação na casa, mas acharam que eram os donos.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.