03/11/2008

Cimento sobe mais de 23% em 12 meses

Fonte: Jornal da Tarde

Há um ano, o varejo vendia o saco de 50 kg em média a R$ 14. Hoje, o valor está entorno de R$ 21

Apesar do reajuste de preços ter ocorrido em todos os segmentos de material de construção nos últimos meses, além do aço, outro vilão apontado pelos especialistas é o cimento, o qual os profissionais apontam como termômetro do setor de construção civil, que, segundo o FGV, subiu 23,36% nos últimos 12 meses, bem acima da inflação.

O engenheiro civil Gustavo Vendramini acredita que o preço da obra total tenha subido até 20% neste ano com a forte demanda do mercado interno impulsionado por novas construções e reformas. “Há dois anos, tínhamos esse mercado estagnado. Hoje, com a procura crescente por materiais, tanto indústria quanto varejo estão aproveitando para fazer caixa”, comenta. “O cimento subiu e ainda está subindo após dois anos no mesmo preço. Se aumentou, é porque o mercado está aquecido e a produção está quase no limite da capacidade”, completa o profissional.

Segundo a FGV, em setembro, o encarecimento foi de 2,74% e, em outubro, o produto registrou aumento de 3,88%. No entanto, para o consumidor, o reajuste foi maior. Há um ano, o varejo vendia o saco de 50 kg em média a R$ 14. Hoje, o valor está entorno de R$ 21.

“Mas não foi só esse produto que subiu. Todo o material de acabamento está mais caro, seja revestimento, louças ou metais. Não relaciono com a crise internacional nenhum aumento, mas sim com o mercado interno, que está comprando muito e até acima do que se esperava”, avalia Vendramini.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.