17/10/2008

Cliente até desconfia. Mas compra

Fonte: Jornal da Tarde

CEF afirma que os consumidores estão mais desconfiados na hora de buscar crédito

O principal banco em atuação nos finaciamentos do setor imobiliário, a Caixa Econômica Federal, percebeu que o consumidor está mais desconfiado na hora de buscar crédito para a compra da casa própria. “O consumidor se informa mais, avalia melhor o negócio e está mais cauteloso atualmente na hora de fechar um financiamento”, observa Augusto Bandeira Vargas, superintendente regional do banco.

Para Vargas, a economia nacional passa um período de tensão diante do que está acontecendo no Exterior e na Bolsa de Valores de São Paulo. “Estamos em um momento que deixa a maioria das pessoas preocupadas para tomar decisões a longo prazo”, diz.

No entanto, até o memento, o superientendente não percebeu um movimento de fuga de clientes do crédito imobiliário. “Apesar das desconfianças, não houve queda nos negócios. O que nos assegura é que nossos recursos não são de capitalização externa, por tanto mantemos a oferta de crédito no setor imobiliário”, conta.

Para 2009, o banco estatal ainda acredita em um aumento de recursos para o setor imobiliário, acima dos R$ 23 bilhões que devem ser emprestados até o fim deste ano. “A Caixa está atenta ao que está acontecendo, mas nos mantemos as operações normalmente. Não tivemos aumento de taxas ou prazos e mantemos o otimismo”, comenta Vargas.

Já bancos privados, como Itaú, Bradesco e Unibanco, elevaram a taxa de juros anual para crédito imobiliário com uso de recursos livres de até R$ 120 mil na última semana. O primeiro foi o que fez o maior reajuste, passando de 9% para 12% o teto da taxa cobrada para o financiamento.

O Bradesco subiu o juros de 9% para 10,5% ao ano e o Unibanco elevou de 11% para 12%o custo do dinheiro para quem vai comprar a casa própria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.