10/08/2009

Com 5 milhões no Brasil, Twitter atrai empresas do ramo imobiliário

Fonte: O Globo

Sites de relacionamentos, como o Twitter, aquecem vendas de imóveis

O crescimento explosivo do número de usuários do Twitter no Brasil, estimado em mais de cinco milhões, atraiu a atenção das empresas, que passaram a ver o microblog como uma forma de atrair novos consumidores. A lista vai de construtoras (como a Tecnisa) ao comércio on-line (Submarino e Fast Shop), passando por redes de varejo (Pão de Açúcar) e fabricantes de produtos de linha branca (Brastemp), companhias aéreas (Gol) e até de motores elétricos (Weg).

A Associação Brasileira de Agrobusiness (Abag) também aderiu ao serviço, que poderá ser usado por quem estiver fora de São Paulo durante o congresso nacional do setor, amanhã e terça-feira. Na sexta-feira passada, já eram 91 “seguidores”, como são chamados os internautas que participam da comunidade virtual. O presidente da Abag, Carlo Lovatelli, promete usar o Twitter também para receber perguntas.

Uma busca pelas páginas do microblog, que começou a ganhar espaço no país este ano, revela promoções exclusivas para os seguidores das empresas.

Também há ofertas de recrutamento para estagiários ou perguntas de investidores sobre o desempenho das companhias.

Uma das maiores construtoras do país, a Tecnisa diz ser a primeira no mundo a vender um imóvel pelo Twitter. A isca foi uma promoção no microblog: um vale-compras de R$ 2 mil. Isso levou à venda de um apartamento de R$ 500 mil.

“Provavelmente, esse foi o produto mais caro vendido pelo Twitter no mundo”, afirmou o diretor de Marketing da empresa, Romeo Busarello. – Conseguimos um excelente resultado com um baixo investimento.

Hoje, 30% das vendas da construtora têm origem em redes sociais ou no site. Por isso, criou-se o cargo de gerente de redes sociais, a fim de monitorar o que é escrito (contra ou a favor) da Tecnisa. Contratado há um ano e meio, Roberto Loureiro tem 1.252 seguidores no Twitter.

Com mais de 25.600 seguidores até a última semana – o que o faz líder no país no segmento de varejo on-line -, o Submarino também tem feito promoções exclusivas no Twitter.

Recentemente, a rede, que está no microblog desde novembro de 2008, ofereceu até R$ 250 em descontos em filmadoras, celulares e DVDs.

Para consultor, ferramenta não pode ser deixada de lado O Submarino parece seguir a bem-sucedida estratégia da americana Dell, que diz ter faturado mais de US$ 1 milhão com vendas a partir do Twitter. Já a rede Fast Shop lançou uma promoção para a melhor resposta à pergunta “O que você faria para tirar seu pai da frente da TV?”. O prêmio estava vinculado à conquista de seguidores: se estes chegassem a 7 mil até sexta-feira passada, a melhor frase levaria um televisor LCD de 32 polegadas.

A meta foi atingida no dia 31, uma semana antes.

“Apesar de ainda não trazer receita direta às empresas, o Twitter não pode mais ser deixado de fora”, diz Julio Puschel, representante no Brasil da consultoria americana Yankee Group.

Ainda não há um estudo conclusivo sobre os resultados das empresas no Twitter. Mas pesquisa da Nielsen Online mostra o potencial: em junho, cerca de cinco milhões de internautas – ou 15% de 34 milhões de brasileiros – visitaram o Twitter.

Quer ter mais informações? Siga o ZAP no Twitter

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.