14/01/2010

Com o calor, voltam os apagões no Rio

Fonte: O Estado de S. Paulo

Alta da temperatura no início do ano começa a causar cortes no fornecimento de energia, principalmente no Rio

COLAPSO DE VERÃO - Retorno das altas temperaturas leva ao maior uso de aparelhos elétricos, causando problemas no abastecimento (Foto: AE)
COLAPSO DE VERÃO - Retorno das altas temperaturas leva ao maior uso de aparelhos elétricos, causando problemas no abastecimento (Foto: AE)

Rio de Janeiro – A onda de calor deste início de ano já começa a provocar quedas no abastecimento de energia, problema que causou grandes transtornos em diversos Estados em novembro do ano passado. Desde quinta-feira, indicam os boletins de operações do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), houve pelo menos quatro grandes cortes de energia no País. Além disso, consumidores do Estado do Rio voltaram a sofrer com apagões localizados.

A fragilidade no sistema de distribuição de energia, principalmente no Rio, veio à tona em novembro quando o consumo bateu recorde por conta do calor. Na época, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) chegou a enviar uma equipe de fiscalização à capital fluminense, que detectou falhas na operação da distribuidora Light, que pode ser multada por ter deixado 12 mil clientes por quase 24 horas sem luz.

Depois de um fim de ano mais tranquilo, por conta da queda de temperatura, os problemas voltaram a aparecer, junto ao calor recorde deste início de 2010. Na área de concessão da Ampla, que opera no interior do Estado do Rio, por exemplo, houve dois grandes desligamentos nos últimos dias, afetando moradores de grandes municípios como São Gonçalo e Niterói, num dia, e da região dos Lagos, em outro. Na capital, houve também uma série de apagões localizados.

“Está havendo crescimento do consumo sem investimento correspondente na rede”, diz o professor Nivalde de Castro do Grupo de Estudos do Setor Elétrico do Instituto de Economia da UFRJ (Gesel). Esse fato já foi verificado no ano passado e, agora, com essa nova onda de calor, diz Castro, as empresas estão sendo postas à prova novamente. Nos últimos dias, a temperatura tem ultrapassado os 40°C no Rio, com sensação térmica superior aos 50°C.

A Ampla defende que os dois grandes desligamentos em sua área de concessão não tiveram relação com o calor. Segundo o ONS, o primeiro ocorreu no dia 7, às 16h50, por causa de problemas na subestação Alcântara, retirando 650 MW de São Gonçalo e Niterói, segundo a empresa, por falha humana. O segundo, no dia 11, foi provocado por um curto circuito na linha Rocha Leão/Iriri, levando ao corte de 260 MW na Região dos Lagos.

Por meio de sua assessoria, a empresa informou que registrou recorde de consumo na segunda-feira, de 1.937 MW, mas diz que a rede opera com folga. Mesmo assim, há ocorrências de cortes localizados em alguns bairros. No ano passado, a companhia alegou que o crescimento das vendas de ar-condicionado era responsável por este tipo de incidente.

Na área de concessão da Light, houve apagões localizados em pelo menos dez bairros do Rio e duas cidades da região metropolitana. A companhia aumentou o efetivo de equipes de emergência depois dos problemas de novembro, mas ainda não vem conseguindo lidar com o aumento da demanda.

O boletim da ONS aponta duas outras ocorrências. A primeira, que deixou Rondônia e Acre sem luz no dia 8, não tem relação com o calor. A segunda, que afetou a região metropolitana de Porto Alegre, ainda não teve as causas definidas. De todo modo, especialistas e técnicos do setor esperam novos incidentes caso as altas temperaturas persistam.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.