28/12/2016

Como escolher a mesa de centro ideal

São muitas opções existentes no mercado e é preciso atenção na hora de eleger o formato, o tamanho, a cor e o material

Fonte: ZAP em Casa

A mesa de centro, além de ser útil, prática e servir como apoio, pode ser elemento chave na decoração de um ambiente e roubar a cena. Existe no mercado uma infinidade de modelos, formatos, cores, tamanhos, alturas e, por isso mesmo, é preciso ter cuidado na hora de escolher a ideal para a sua casa. Beleza é fundamental, mas não é tudo e escolher o móvel errado pode fazer com que ele destoe de todo o resto da decoração. Confira dicas para eleger a mesa de centro ideal, que seja versátil e confira charme ao ambiente.

+ Faça seu cadastro no ZAP em Casa e fique por dentro das últimas de decoração

+ O ZAP em Casa quer a sua opinião: clique aqui e conte o que você quer ver por aqui

O primeiro ponto a ser levado em consideração é o espaço disponível para a mesa de centro. A partir daí será definido o tamanho dela e, para isso, é fundamental estudar o layout do ambiente em escala real. “Deve ser deixado, ao menos, algo em torno de 60 centímetros de afastamento entre a mesinha e os sofás ou poltronas. Isso porque o móvel deve estar harmonizado à circulação e layout do ambiente sem se apresentar como uma barreira física. Algumas mesas de centro, apesar de interessantes, apresentam dimensões muito acima ou muito abaixo do que poderiam ter em relação ao ambiente”, explica Juliana Barreto, arquiteta e professora da FBV/Devry.

Mesa de centro sala de estar
A mesa de centro, além de ser útil, prática e servir como apoio, pode ser elemento chave na decoração de um ambiente e roubar a cena (Foto: Shutterstock)

Outro cuidado deve estar relacionado à altura da mesa de centro. O que é preciso levar em consideração é que o móvel serve como apoio para copos e petiscos e que dá suporte às pessoas que estão sentadas nos sofás e poltronas. “Geralmente, as mesas de centro assumem a altura até o joelho das pessoas, ou seja, algo em torno de até 55 centímetros. Assim, ela serve como apoio e, com esta altura, permite que os objetos sejam visíveis e destacados, sem chamar para si demasiada atenção, já que se for mais alta que isso, pode interferir na ambiência do espaço, sem ser possível que objetos de dimensões maiores sejam dispostos em seu tampo”, acrescenta a arquiteta.

Mesa de centro
Beleza é fundamental, mas não é tudo e escolher o móvel errado pode fazer com que ele destoe de todo o resto da decoração (Foto: Shutterstock)

A questão estética também é quesito fundamental na hora de escolher. No mercado, existem muitas opções de mesa de centro, de vários formatos, tamanhos, cores e materiais. Em relação aos formatos disponíveis, os mais facilmente encontrados são os quadrados e retangulares. Porém existe uma infinidade de possibilidades. “Pode-se usar também formatos triangulares, ovais e orgânicos, que são mais livres. Estes podem dar um charme todo especial ao ambiente. E pode-se ainda fazer um mix utilizando diferentes mesas de centro”, afirma o arquiteto Artur Diniz. “As mesas orgânicas também são uma boa opção e caem bem em uma decoração mais rústica ou clean. Uma decoração mais clássica pede um centro no mesmo estilo, mas não é regra obrigatória: estilos diferentes podem dialogar, sempre com cuidado para não brigarem entre si”, completa ele.

mesa de centro
É preciso levar em consideração que o móvel serve como apoio para copos e petiscos e que dá suporte às pessoas que estão sentadas nos sofás e poltronas (Foto: Shutterstock)

Também há uma variedade muito grande quando se trata de materiais e, em alguns casos, é possível encontrar mesas de centro com mais de um tipo de material. Vidro, metal e acrílico são peças mais leves, já madeira ou pedra são volumes mais sólidos. “Se feita sob encomenda, por algum artesão ou artista, poderá ser uma peça única. Pode-se ter uma mesa com tampo de ladrilho hidráulico, espelhadas, perfis de aço, madeira bruta, pedra, fibras naturais, entre outros. Inclusive, existe a possibilidade dela ser feita a partir de materiais reaproveitados, como pallets e caixotes de feira”, diz Artur Diniz.

mesa de centro
Também há uma variedade muito grande quando se trata de materiais (Foto: Shutterstock)

É preciso, no entanto, ficar atento ao tipo de uso que a mesa de centro terá. “A estética deve ficar em segundo plano quanto à funcionalidade: uma mesa pesada pode ser um transtorno para um cliente se ele tiver o hábito diário de arrastar a mesa para limpar embaixo. Neste caso, será bom instalar rodízios ou, além de optar por uma peça mais leve, pode-se ter uma mesa de centro com pés de apoio, que deixem o acesso ao chão livre”, ressalta o arquiteto. Outro ponto diz respeito à superfície. “Ela tem que ser plana e estável. Muitos modelos priorizam o aspecto visual, misturam materiais e alturas diferentes e esquecem da sua função principal e fica até difícil colocar um copo com segurança. Quando a superfície não for totalmente plana, é indicado utilizar bandejas em cima da mesa”, sugere ele.

mesa de centro
A estética deve ficar em segundo plano quanto à funcionalidade (Foto: Shutterstock)

A escolha da cor também é tarefa difícil e, para acertar, é preciso definir, inicialmente, se o objetivo é dar destaque à mesa de centro ou neutralizá-la. “Se você quer dar destaque ao estofado e neutralizar a mesa, esta terá que ser discreta, em vidro, madeira ou cores neutras. Também poderá seguir o mesmo estilo do mobiliário, principalmente se for um estilo marcante como o clássico. Já se o estofado for neutro e a ideia é destacar a mesa, poderá usar cores, com madeira de demolição ou laca colorida, de cores fortes. Neste último caso, recomendo adotar uma paleta de cores do ambiente presente em quadros, mesas laterais e objetos de decoração para unificar visualmente o espaço”, sugere Artur Diniz.

mesa de centro
É preciso definir, inicialmente, se o objetivo é dar destaque à mesa de centro ou neutralizá-la (Foto: Shutterstock)

A arquiteta Juliana Barreto ainda reforça a questão da segurança, que não deve ser deixada de lado na hora de escolher a mesa de centro ideal. “Para quem tem criança em casa, deve-se ter o cuidado para que a mesa de centro não possuam pontas agudas ou vidros de quina, tendo em vista a facilidade de acidentes. Também é fundamental que o tampo da mesa não seja apenas apoiado sobre a base, mas fixado, de modo que não saia do lugar”, conclui.

mesa de centro
A questão da segurança não deve ser deixada de lado na hora de escolher a mesa de centro ideal (Foto: Shutterstock)

+ Transforme um carretel de fio em mesa de centro

+ Reaproveite materiais esquecidos em casa para criar uma mesa de centro

+ Faça você mesmo: mesa de centro feita com pallet

+ Mesa de centro pode ser transformada em até quatro cadeiras

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.