17/05/2010

Condomínios cariocas não estão preparados para combater incêndios

Fonte: O Globo

Incêndios em condomínios são mais comuns do que se imagina mas, nem sempre, o síndico dá a devida atenção às medidas preventivas. No último dia 3, por exemplo, um incêndio atingiu o primeiro andar de um prédio em Botafogo, deixando moradores em pânico. Naquela mesma semana, duas pessoas foram intoxicadas pela fumaça do fogo que destruiu um apartamento em Vila Isabel.

Incêndios em condomínios são mais comuns do que se imagina mas, nem sempre, o síndico dá a devida atenção às medidas preventivas. No último dia 3, por exemplo, um incêndio atingiu o primeiro andar de um prédio em Botafogo, deixando moradores em pânico. Naquela mesma semana, duas pessoas foram intoxicadas pela fumaça do fogo que destruiu um apartamento em Vila Isabel.

De acordo com o Centro de Prevenção Rio (CPR), grande parte dos condomínios cariocas não está preparada para lidar com incêndios. Os principais entraves são os equipamentos danificados ou obsoletos e a falta de informação. Juntos, eles podem custar até a vida de moradores.

Condomínios devem se precaver contra incêndios (Foto: Divulgação)
Condomínios devem se precaver contra incêndios (Foto: Divulgação)

“Equipamentos como extintores, placas de sinalização, portas corta-fogo e mangueiras, assim como treinamento para os funcionários, são questões prioritárias. No entanto, são raros os edifícios que investem em prevenção. Infelizmente, ela é sempre vista como um custo extra e, por isso, acaba ficando em segundo plano. É uma questão de estabelecer prioridades”, diz o engenheiro Joacil Gomes, do CPR.

VELHOS HÁBITOS, GRANDES RISCOS – Ainda segundo o especialista, dicas importantes – mas pouco divulgadas – são essenciais para prevenir incêndios. Hábitos simples podem esconder grandes riscos, como, por exemplo, o de ligar vários aparelhos eletrônicos na mesma tomada; atirar pontas de cigarro pela janela (elas podem ser carregadas pelo vento até um apartamento vizinho, atingindo uma cama ou cortina) e acender velas.

“Alguns produtos usados na limpeza de casa, como a cera, oferecem riscos quando armazenados em locais pouco ventilados. E panos sujos de graxa devem ser lavados logo após o uso. A substância pode aumentar em até cinco vezes os estragos causados pelo fogo”, explica o engenheiro, que faz outro alerta.  A limpeza do ar condicionado deve ser feita a cada 90 dias. Essa medida ajuda a evitar possíveis sobrecargas.

Para orientar síndicos e porteiros, identificar riscos e reduzir danos em caso de incêndio, o Centro de Capacitação do Secovi Rio oferece um curso prático e teórico. A próxima edição está marcada para os dias 29 e 30 de junho.

Estão previstos exercícios de combate a incêndio, em condições que se aproximam da realidade dos condomínios. Os participantes serão monitorados por instrutores capacitados, como é o caso de Evandro Sarno, coronel do Corpo de Bombeiros do Rio: “A aula prática é essencial, pois faz com que o participante ganhe confiança para agir numa situação de emergência. Na vida real, ele terá poucos segundos para tomar uma decisão. E, ainda hoje, pequenos incêndios em imóveis residenciais ainda são bastante comuns”, diz Sarno.

Inscrições e informações no site www.secovirio.com.br ou pelo telefone (21) 2272-8000.

 

LEIA MAIS:

CASA PRÓPRIA: MAIS OPÇÕES DE SEGURO

PROTEGENDO A CASA CONTRA INVASÕES DURANTE VIAGENS

10 DICAS PARA DEIXAR SUA CASA MAIS SEGURA ENQUANTO VOCÊ VIAJA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.