28/10/2013

Condomínios sobem quase o dobro da inflação em São Paulo

Segundo a Aabic, os custos condominiais subiram 7,43% no acumulado de 12 meses, bem acima dos 3,85% da inflação medida no mesmo período

Fonte: ZAP Imóveis

Apesar da grande quantidade de ofertas que se tem disponíveis no mercado, morar em um apartamento na cidade de São Paulo está cada vez mais caro.

Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Clique aqui e cadastre-se

Em agosto, segundo levantamento da Aabic (Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo), os custos condominiais subiram 0,3% na capital paulista.

Condomínios sobem quase o dobro da inflação em São Paulo
Em agosto, os custos condominiais subiram 0,3% na Capital (Foto: Banco de Imagens / Think Stock)

Com esta alta, os gastos de se viver em um edifício em São Paulo cresceram quase o dobro da inflação medida no mesmo período.

No acumulado de 12 meses, a variação é de 7,43%, valor acima dos 3,85% do IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado), muito utilizado para correção de contratos de aluguel e como indexador de tarifas como energia elétrica no mesmo intervalo de tempo.

De acordo com o diretor da Aabic, Omar Anauate, o custo condominial relativo a setembro, ainda não divulgado, deverá apresentar ligeira alta “devido ao aumento de tarifas da Sabesp”.

Inadimplência menor

Apesar dos aumentos nos gastos fixos com os condomínios, o calote no setor caíram no oitavo mês de 2013.

O índice de atraso do pagamento de condomínio em São Paulo, ainda segundo a Aabic, foi de 3% em agosto, pouco abaixo dos 3,24% registrados no mesmo mês do ano passado.

O morador é considerado inadimplente se não pagar o condomínio de 31 a 90 dias após o vencimento do boleto.

Até 30 dias, o atraso no pagamento recebe o nome de “atraso por mora”. Segundo a Aabic, este índice foi de 6,79% em agosto em São Paulo e também apresentou queda em relação ao mesmo período de 2012.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.