03/10/2013

Conheça os maiores erros em quartos de bebê e saiba como evitá-los

Exageros devem ser evitados, assim como falta de planejamento em relação à mobília e ventilação

Exageros devem ser evitados em quartos de bebê (Foto: Crédito: Divulgação/Baby Dreams/Gustavo Sguissardi)

Ao decorar o quarto do bebê, muitas dúvidas podem surgir, ainda mais se o local será palco para as primeiras noites do primeiro filho.

Planejar a decoração do lugar onde o bebê passará horas exige muita dedicação. São muitos detalhes que devem ser avaliados, como cores e móveis que irão ilustrar o quarto.

Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Clique aqui e cadastre-se

Os nove meses de espera da chegada do bebê podem trazer certa ansiedade em relação aos preparativos. Em meio a tantas questões a serem resolvidas, o planejamento do quarto, muitas vezes, acaba ficando para depois do momento que se descobre se a criança é um menino ou menina.

“A decoração do quarto de bebê deve obedecer ao estilo de vida e necessidades da família e não à opinião de amigos, parentes ou referências de revista”, alerta Luís Miguel Sampaio, administrador da loja Baby Dreams.

O excesso é um dos maiores erros presentes em um quarto de bebê. “Tem que ter moderação. Se decidir exagerar em algum aspectos, que seja pelos acessórios, pois, caso enjoe, é possível trocá-los sem gastar muito”, diz a arquiteta Ana Rozenblit, do Spaço Interior.

É preciso escolher quais cores devem predominar. “Um erro comum é fazer muita mistura de tons”, afirma Ana Rozenblit.

“Muitas cores primárias ou tons pastéis em um único quarto não dá certo. A criança tem diversos acessórios e brinquedos coloridos, as tonalidades iriam brigar entre si”, completa.

De acordo com especialista, pais devem optar por materiais fáceis de limpar, como o laminado e piso de madeira

Tons vibrantes são estimulantes, o que é positivo para os bebês. No entanto, deve-se fugir do excesso para não errar.

“As cores vibrantes podem ser encontradas em detalhes e acessórios do quarto, pois os pais não querem estimular o bebê o tempo inteiro”, afirma Ana.

Ana ressalta que não é preciso aplicar todas as cores do arco-íris no dormitório, mas sim escolher um tema e um tom de fundo.

Segundo a profissional, o ideal é criar um dormitório em tons neutros tendenciado para uma cor ou elemento predominante.

Quarto precisa tanto de iluminação direta quanto indireta (Foto: Thinkstock)

Uma sugestão da arquiteta é aplicar uma cor mais forte no mobiliário e deixar as paredes pintadas em um tom mais suave. “É fundamental harmonizar todo o contexto”, diz.

Mobília – Para fugir do erro em relação aos móveis, o administrador da Baby Dreams dá a dica: “o ideal é visitar lojas especializadas que ofereçam mais do que produtos, mas a correta orientação na resolução dessas questões. Vários ambientes montados auxiliam bastante na escolha do casal.”

Os móveis devem respeitar a proporção do dormitório. “É necessário projetar o quarto de acordo com o tamanho do berço, cômoda e berço, que são móveis essenciais para o ambiente, e começar a colocar o resto da mobília após saber onde os primeiros vão ficar”, sugere a arquiteta.

Um erro que deve ser evitado é escolher o berço e a cômoda sem verificar previamente se tais móveis têm altura adequada para a mãe.

Outra grande falha ao projetar um quarto do bebê é comprar os móveis somente pela sua beleza, não pela funcionalidade.

É um erro comprar a mobília sem verificar se ela cabe no quarto e se é adequada à altura da mãe

Berço – Sampaio lembra que é válido pensar no tamanho de berço antes de comprá-lo, pois, dependendo do modelo, eles podem ser reaproveitados quando as crianças crescerem. “Muitos se transformam depois em camas ou escrivaninhas, por exemplo, por isso é necessário fazer um projeto de longo prazo, pensando na funcionalidade do quarto”, diz.

Reaproveitamento de móveis – É de grande economia quando os pais conseguem herdar a mobília de amigos ou alguém da família. Mas, para evitar que alguém se machuque, é importante arrumar os móveis que tiverem algum tipo de lasca.

“Renovar a pintura do móvel, mudar seu layout e fazer um acabamento diferente no estofamento dão ar de uma mobília nova”, diz a arquiteta.

Tela – Com a preocupação com cores e mobílias, algumas mães podem esquecer de colocar tela na janela, o que seria um erro. Além de promover a segurança, a proteção evita também a entrada de insetos no quarto.

Se a mobília for herdada de um bebê de amigo ou da família, não esqueça de checar se ela precisa ser renovada (Foto: Thinkstock)

Piso – Por mais que seja incrivelmente bonito, escolher um piso difícil de limpar atrapalha a rotina dos pais. “Laminado e piso de madeira são materiais de fácil manutenção”, recomenda Ana.

Ventilação – Colocar o ar-condicionado sem planejar antes onde o berço vai ficar também entra na lista de erros. “O melhor lugar para o equipamento ser instalado é na cabeceira de onde o bebê vai ficar, senão o retorno da ventilação pode causar um problema de saúde”, alerta a profissional.

Iluminação – Não estabelecer os pontos de eletricidade com cuidado pode causar arrependimento. “O quarto precisa de uma luz forte para o dia e uma indireta para a mãe amamentar no meio da noite”, diz a arquiteta.

7 Comentários

  1. Essas dicas são de extrema importância e trazem muitos benefícios para o bebê… Somos uma empresa de consultoria para quartos de bebê e desenvolvemos desde o projeto inicial, movelaria, enxoval e acessórios. Transformamos o sonho da mamãe em realidade para o pequeno. Entrem em contato conosco para conhecer melhor nosso trabalho. Um abraço. Ateliê Laço de Bebê

  2. Achei todas as sugestões maravilhosas… Pena não ter lido antes de comprar berço. Sou baixinha e o berço, por ter bicama, é alto demais. Agora q meu filho está maiorzinho, fica pesado para colocá-lo para dormir…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.