30/10/2006

Conservação é moeda de negociação

Fonte: O Estado de S. Paulo

Tanto para alugar como para vender ou comprar o estado do imóvel é fundamental. É possível reformar e ter desconto na locação Na hora de comprar, o consumidor pode obter descontos se há necessidade de obras

Alex Silva/AEZap o especialista em imóveisReformado – Ana trocou piso, instalações elétricas e hidráulicas, pintou parede e reformou banheiro em troca de 3 meses de carência

Depois de ter fiador, comprovante de renda e toda a documentação exigida pelas imobiliárias para alugar um imóvel, chega a hora da escolha. Neste momento pode começar outra maratona: encontrar algo bem conservado.

Este é um dos principais motivos que levam à desistências de quem busca imóvel para locação. Segundo o Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), 40% das 155 imobiliárias pesquisadas no primeiro trimestre deste ano, informaram que a má conservação afeta os imóveis para alugar com contrato de até R$ 450 mensais.

De acordo com um levantamento feito no ano passado pela Lello Intermediadora de Negócios, 34% das recusas mensais têm como causa as mas condições de habitabilidade.

A saída, segundo a gerente de locação e vendas da Lello, Roseli Hernandes, é fazer um acordo com o proprietário do imóvel e, se optar pela reforma, ter um abono por certo tempo. Pode-se ficar com o bem, no estado, e fechar um contrato com aluguel mais barato.

“Quem está alugando pensa que não há porque reformar um imóvel que não é dele. Sempre buscam imóveis que melhor os atendam e de preferência não fazem nada em termos de manutenção”, afirma Roseli. Ela recomenda que o proprietário deixe o imóvel sempre em bom estado. “Quem loca um imóvel quer morar com segurança. Umidade, rachadura, paredes pichadas e sujas depreciam muito. Também é bom deixar o jardim bem cuidado.”

Venda

A boa conservação influencia também na hora da compra e venda do imóvel. O arquiteto Fernando Belloube visitou pelo menos 60 apartamentos há um ano.

Tentava conciliar seu orçamento com um bem com espaço razoável para ele, a esposa e três filhos. Se deparou com várias dificuldades, e entre elas imóveis em mau estado.

A solução foi procurar apartamentos mais antigos e que precisassem de reforma. Belloube encontrou um nos Jardins e obteve um abatimento na hora da compra. Em seu imóvel teve de refazer todo o sistema de esgoto.

“Na venda, sempre se fecha o negócio, mas isto depende das vantagens oferecidas. Provavelmente a pessoa vai pagar menos por apontar os defeitos”, diz Roseli.

“A oferta é grande, fica mais fácil pegar um outro”, considera o gerente geral de gestão patrimonial da Itambé Planejamento e Administração Imobiliária, Alexandre Dalmaso.

Para o diretor da Lopes Consultoria de Imóveis, Tomas Salles, se o bem não estiver em bom estado, o proprietário deve fazer uma reforma antes da venda, caso contrário pode perder até 20% do valor do imóvel. “Não tem comprador para imóvel mau conservado”, ressalta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.