06/06/2013

Copa do Mundo e Olimpíada no Brasil: como o mercado imobiliário deve reagir a esses eventos

Eduardo Zylberstajn, coordenador do índice FipeZap, responde às dúvidas frequentes sobre o assunto

Fonte: ZAP Imóveis

Nos próximos anos, o Brasil viverá momentos únicos em sua história: irá sediar os dois maiores eventos esportivos do mundo. Sem dúvida, a Copa do Mundo e a Olimpíada podem afetar o comportamento dos preços de imóveis nas cidades escolhidas para receber os jogos.

Esses locais têm recebido um grande aporte de investimentos em obras de infraestrutura e melhorias urbanas. Eduardo Zylberstajn, coordenador do índice FipeZap, esclarece como esses eventos estão refletindo diretamente na valorização do mercado imobiliário do País.

INFOZAP – Falta pouco tempo para a Copa do Mundo e para a Olimpíada no Brasil. De que maneira isso pode refletir no preço dos imóveis e aluguéis?
EDUARDO ZYLBERSTAJN – Qualquer investimento em infraestrutura urbana tem potencial para impactar os preços dos imóveis. Pelo fato de termos esses grandes eventos a caminho, muitos planos de investimento foram anunciados e parte deles foi realizada.

Apesar de não termos nenhum estudo que meça o impacto disso nos preços, é razoável imaginar que alguns locais das cidades beneficiadas, sofreram esse efeito. Porém, não acredito que esses eventos têm potencial para, sozinhos, afetar significativamente a média do preço dos imóveis no âmbito nacional. Creio que os efeitos devem ser mais localizados.

Algum outro acontecimento nos últimos anos impactou os preços dos imóveis no Brasil?
O aumento dos preços dos imóveis no País deve-se, principalmente, a três fatores: demografia, mercado de trabalho favorável e crédito imobiliário com condições (juros e prazos) melhores.

Podemos afirmar que a decisão de que a Copa do Mundo seria realizada no Brasil influenciou no aumento do preço do metro quadrado?
Não há estudos que comprovem ou refutem essa tese, portanto, qualquer resposta a isso é com base em observações anedóticas.

Você acredita que mais imóveis possam ser alugados por períodos menores, ou seja, por temporadas?
O mercado deve encontrar formas para buscar retornos maiores durante esse evento. Acho possível que em determinadas cidades a demanda por locação com duração menor aumente. Entretanto, acho difícil algum investidor tomar suas decisões com base apenas em dois eventos de duração de um mês.

Claro, durante as semanas que durarem a Copa e a Olimpíada, deve ficar mais caro alugar um apartamento próximo ao Maracanã, por exemplo. Mas, como os ciclos e as decisões de investimento do mercado imobiliário são de longo prazo, não vejo muita relação entre o evento em si e os preços. Ou seja, a menos que haja a expectativa de melhoria na infraestrutura dos locais, os eventos esportivos devem ter impacto muito limitado nos preços no médio prazo.

3 Comentários

  1. Resumindo: Depois da bebedeira vem a ressaca.Destaque no texto: crédito imobiliário com condições (juros e prazos) melhores.Não vai ser pra sempre, no max. ate as eleições.

  2. Pelo visto o Sr. está totalmente fora da realidade imobiliária no estado do Rio de Janeiro.A copa do mundo será realizada em 2014.Um apto que era avaliado em R$ 80.000,00 pulou para R$ 320.000,00.O Sr.poderá pesquisar no ZAP e verá a barbaridade que está ocorrendo no mercado imobiliário no Rio de Janeiro.Então o Sr,poderá falar com com conhecimento de causa.Muito me admirei o Sr ser coordenador do ZAP e dar esta declaraçãoTenha um ótimo final semana.

  3. Aqui na grande Bh está dificil comprar casas e apartamentos e até lotes.quem tem renda de até Rs 3000,00 tem dificuldade de comprar algum imóvel e os juros são absurdos.Lote só acha barato e financiado próximo a favelas e lugares perigosos como Ribeirão das neves,Esmeraldas que é fria.Os imóveis quadruplicaram de preços de tres anos para cá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.