10/10/2008

Crédito neste ano já bate 2007

Fonte: O Estado de S. Paulo

Até agosto, o número de unidades financiadas somou 197.820. O número é maior do que o total do ano passado, que atingiu 195.900

O impacto da crise internacional no crédito imobiliário, bem como sua duração, ainda é nebuloso. Mas o que já é comprovado é que essa modalidade de crédito cresceu este ano. Até agosto, o número de unidades financiadas somou 197.820. O número é maior do que o total do ano passado, que atingiu 195.900.

Houve, ainda, um crescimento contínuo ao comparar estes números com os de anos anteriores. Com relação a 2002, o número de contratações deste ano chega a ser 583,74% maior.

Teotônio Rezende, consultor da vice-presidência de governo da Caixa, afirma que, de janeiro até o início desta semana, a Caixa aplicou R$ 16,6 bilhões e realizou cerca de 360 mil contratos. “O volume vem crescendo gradativamente desde o início do ano”, conta.

Ele lembra que a maior parte dos financiamentos realizados pelo banco público estão atrelados a recursos de poupança e FGTS, mais difíceis de serem impactados pela crise e alta de taxas de juros.

O vice-presidente da Anefac Miguel de Oliveira prevê desaceleração do número de contratações já neste semestre. “Tenho certeza que o crédito no setor irá crescer mais que no ano passado, mas irá haver um a desaceleração do crescimento previsto. Em 2009, vai depender da normalização do mercado. Mesmo normalizado, vai crescer menos que este ano”, explica.

José Augusto Viana Neto, presidente do Creci-SP, acredita que haverá uma manutenção do crédito. “A demanda não irá mudar e há dinheiro para financiamento, as taxas continuam razoáveis e o prazo é bom. Não vejo clima para pessimismo”, conclui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.