07/08/2009

Cresce a procura (e o preço)

Pesquisa da Lello indica que preço aumentou 8% devido à falta de imóveis no mercado

A procura por imóveis para locação residencial está puxando o valor dos aluguéis para cima na cidade de São Paulo. É o que aponta levantamento da empresa de administração imobiliária Lello. No primeiro semestre deste
ano, o valor médio dos alugueis acertados nos contratos de locação firmados entre proprietários e inquilinos foi 16% superior ao registrado nos seis primeiros meses de 2008.

Segundo o estudo, a dificuldade de se encontrar casas e apartamentos disponíveis para locação se estende por todas as regiões da cidade, mas a maior procura tem sido pelos bairros de Perdizes, Pacaembu, Higienópolis
e Consolação.

Bairros centrais procurados por estudantes, responderam por apenas 12% dos contratos intermediados pela administradora no período. De acordo com a gerente de locação, Roseli Hernandes, eles são especialmente atrativos por estar em localizado ao lado de faculdades e hospitais.

A escassez é mais acentuada em relação a imóveis de um e dois dormitórios. “Faltam principalmente imóveis com esse perfil. Estimamos que 70% das opções residenciais oferecidas pelos condomínios se enquadram nessas características, mas o estoque acabou.”

A Lello estima que o tempo de espera para alugar um imóvel atinja quatro meses. “Para unidades com até três dormitórios, são 2 mil inquilinos que aguardam a entrega das chaves”, completa.

Como reflexo desse fenômeno, locatários começam a diminuir preços de locação de unidades com três dormitórios. Já os bairros residenciais Mooca e Tatuapé, que corresponderam por 43% das novas locações no período, chamam atenção pelas facilidades, como Metrô, para o deslocamento para outras regiões da cidade.

Jardins, Vila Mariana e Moema, bairro com vida própria, também continuam chamando a atenção e responderam por 30% dos novos contratos, enquanto Santana respondeu por 15% das contratações. “Em Moema e Perdizes são encontrados preços equivalentes.

Na Zona Norte falta apartamentos maiores, principal foco de Moema, onde são oferecidas unidades com 300 a 400 metros quadrados”, explica a gerente.

“Os números mostram que a hora é de investir em imóveis para locação. O rendimento dos alugueis representa de 0,7% a 1% do valor da unidade e, com a demanda extremamente aquecida, a liquidez é praticamente imediata para quem disponibilizar seu imóvel no mercado”, afirma Roseli.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.