20/10/2008

Criatividade a menor custo

Fonte: O Globo

Com 15 peças, laqueadas de vermelho, os arquitetos montaram uma estante para colocar utensílios

Os caixotes de feira comprados a R$3 na Cadeg, em Benfica, ganharam uma nova função no projeto de Beto Najman e Evelyn Steinberg para uma cozinha feita para uma executiva. Com 15 peças, laqueadas de vermelho, os arquitetos montaram uma estante para colocar utensílios. Essa é uma das soluções criativas  e que não pesam no bolso  que os visitantes da 5ª edição da mostra Morar Mais por Menos poderão conferir, a partir de quinta-feira e até 30 de novembro, na Lagoa.

O evento, que será num prédio da obra social Pequena Cruzada de Santa Therezinha do Menino Jesus, terá como mote a sustentabilidade. A partir daí, a dupla partiu para o reaproveitamento de objetos. Além dos caixotes de feira, há uma instalação iluminada feita com garrafas vazias de vinho, por exemplo. Os arquitetos também substituíram materiais caros por outros mais baratos, como nas bancadas, revestidas de corian (mistura de minerais naturais e acrílico), em vez de mármore ou granito.

Para aproveitar ao máximo o quarto de 18 metros quadrados, de um menino, a arquiteta Leila da Mata Ribeiro projetou a cama no alto, suspensa por cabos de aço. Na parte de baixo, tirando partido da quina do ambiente, ela instalou um tablado com um futton por cima. O espaço serve para a garotada brincar e vira cama quando um amigo vai dormir em casa.

O tablado foi uma solução bonita e criativa para aproveitar melhor o espaço. Fiz também nichos nessas paredes que formam a quina para colocar brinquedos e gibis para que eles tenham tudo a mão  conta Leila.

Quarto parece flutuar na água
No quarto do esportista, de 15 metros quadrados, pastilhas em tons de azul revestem o piso. O material, tradicionalmente utilizado em áreas molhadas, foi escolhido para o tema do ambiente, que é a natação. As arquitetas Elisa Ayres, Flávia Coelho e Juliana Massotti avisam: as pastilhas custam R$50 o metro quadrado, um preço cerca de 50% mais barato que o das marcas mais tradicionais.

A idéia foi fazer com que o quarto pareça flutuar sobre uma piscina. Para atingir esse efeito, instalamos uma iluminação azulada, feita com leds  explica Juliana, ressaltando que a divisão do quarto para o closet foi feita com vidro transparente, para que o espaço não parecesse menor.

O sonho de uma sala de banho com hidromassagem ficou mais possível no projeto dos arquitetos Celina Melo Franco e Nilton Lima Montarroyos. A banheira, da Acqua Life, custou R$4 mil. Feita de fibra com acabamento de resina, o preço fica mais em conta do que a tradicional, feita com acrílico. Como a idéia era criar um espaço luxuoso, a dupla revestiu uma parede com um mosaico de pastilhas de pedra São Tomé  mas só uma, já que o custo é alto, de R$250 o metro quadrado.

Na sala multifuncional, com 24 metros quadrados, vários ambientes  sala de estar, home-theater, escritório e bar  totalmente integrados. No projeto, das arquitetas Cyntia Sabát e Danielle Sabino, uma bossa são os espelhos, intercalados com faixas de luz, no teto, em vez da parede.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.