03/12/2006

Cuidados ao comprar a casa na praia

Fonte: O Estado de S. Paulo

Zap o especialista em imóveis

Fim de ano, o verão chegando, sol, praia, céu azul, cerveja gelada, sem dúvida, o verão é muito bom e despertar do antigo sonho de adquirir um imóvel na praia. Para quem tem recursos, é fácil. Mas muitos passam anos fazendo o conhecido bate e volta se hospedando em apartamentos emprestados ou alugados até juntar dinheiro para comprar a sua casa de veraneio.

Se ao longo dos anos você conseguiu reunir recursos suficientes, aqui vão algumas sugestões para não se afogar fazendo a escolha errada. É nesta hora que se deve prestar muita atenção. As “oportunidades” são muitas e sua atenção deve ser redobrada para realizar sua aquisição com segurança.

Não adquira ou assine contrato em um dia de sol: você pode se queimar, ou seja, ser influenciado pelo momento, comprar na emoção. Calma, pense com carinho para o sonho não virar pesadelo.

Em primeiro lugar, não se esqueça que a documentação dos imóveis deve ser criteriosamente analisada por quem entende de documentação imobiliária. O objetivo é comprar e receber a escritura definitiva de venda e compra, a qual deve ser registrada no competente registro de imóveis e, se estiver em construção, verificar o registro de incorporação e a documentação de praxe.

Cuidado também para analisar os detalhes de acordo como seu perfil. Há aqueles que querem curtir o verão descansando e curtindo a cidade e a praia e há os que querem curtir de maneira mais agitada.

Se o que você procura é mais tranqüilidade, analise alguns aspectos como a vizinhança, se não há muitas casas com placas “alugo para temporada”, se não é um local que quando você descer a serra para descansar terá vários vizinhos que gostam de abrir o porta-malas de seus veículos com seus sons incrementados a todo volume. Já se o seu perfil é o de curtir, então o local escolhido é o ideal, com muito som e muita curtição.

Quem procura tranqüilidade deve buscar um empreendimento menor em número de unidades e, assim, com menos pessoas. Se o seu objetivo é o de muita farra, o empreendimento que tem um maior número de unidades é o mais indicado.

Deve-se avaliar também a localização, o entorno do prédio. Afinal, se os prédios vizinhos têm muitas unidades, a tranqüilidade também pode estar comprometida.

Por outro lado, veja também se o melhor é o apartamento de frente para o mar, com vista para o mar ou próximo ao mar. Não é só a vista que importa, a segurança, a liquidez, o perfil do empreendimento, tudo deve ser analisado com muito cuidado. Claro que ter de ir para a praia de carro é sempre um inconveniente e a proximidade da praia gera um grande conforto, mas a decisão tem que ser tomada levando em consideração detalhes que em um primeiro momento muitas vezes não percebemos, como escolher a praia, a infra-estrutura que ela oferece e como fica a região na alta temporada.

Assim como as casas, os edifícios devem ser analisados também quanto a sua vocação: se tem vocação para moradores, uso exclusivo de proprietários ou se poderão ser explorados para locação por temporada.

Decida o que procura para não se decepcionar. Descubra antes de tudo se o seu objetivo é o de ter um imóvel para alugar para temporada ou se o seu desejo é o de usufruí-lo.

Lembre-se que ninguém compra um imóvel na praia para vendê-lo em seguida, mas devemos considerar que quando o cinto aperta, o primeiro que vai é ele. Por isso, o valor de revenda e liquidez também é muito importante na hora da decisão. Você não está adquirindo seu imóvel na praia só para a temporada, está adquirindo também para os feriados prolongados, carnaval, Natal, e todos os outros dias do ano.

* Feliciano Giachetta é diretor da FGi Negócios Imobiliários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.